Maternidade implanta serviço de Acolhimento por Classificação de Risco em Roraima

13votos

 

O Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMINSN) implantou no dia 13 de setembro de 2011, o serviço de Acolhimento por Classificação de Risco. Na recepção da unidade foi instalado um banner para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) entenderem como funciona o serviço.
De acordo com a diretora do HMINSN, Ana Carolina Brito, o banner foi instalado na sala de acolhimento. No local, o paciente tem o primeiro contato com o enfermeiro. Com isso, elas entenderão quais os critérios utilizados para a ordem de chamada. “Com isso, o estado pretende dar assistência com qualidade e resolutividade aos pacientes”, afirma.
A metodologia classifica a ordem de atendimentos por meio de cinco cores: vermelho, laranja, amarela, verde ou azul. As cores indicam o estado de saúde do paciente e, com isso, a ordem de atendimento. De acordo com a queixa apresentada pelas pacientes, durante a triagem, o enfermeiro plantonista pintará na ficha de atendimento com a cor correspondente a um dos graus de risco.
A ideia é garantir que os casos mais sérios tenham prioridade, pois nem todo mundo que procura atendimento na rede hospitalar é caso de emergência. Assim, cada cor tem um significado dentro da unidade de saúde. O vermelho significa atendimento imediato e é utilizado em casos de emergência, ou seja, quando o paciente corre risco de morte.
A cor laranja é para casos de muita urgência, quando a pessoa precisa de atendimento rápido, mas não corre risco de morte. Já, a cor amarela é para ocorrências de urgências.
Os casos de menor urgência são classificados com a cor verde. As pacientes identificadas pela cor azul são de atendimentos que deveriam acontecer nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Por isso, classificados como não urgentes.

A IMPLANTAÇÃO
O Acolhimento com Classificação de Risco era uma das metas do PLANO DE QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO EM MATERNIDADES E REDE PERINATAL DO NORDESTE E AMAZÔNIA LEGAL que vem sendo desenvolvido no HMI em parceria com o Ministério da Saúde. Como no Estado não havia nenhuma instituição com o serviço organizado seguindo as diretrizes do ACCR, foi necessário um longo trabalho de sensibilização e formação da equipa.
Várias oficinas foram realizadas, inclusive com a presença da consultora do PQM (Aline Costa) e outras conduzidas pelo grupo de enfermeiros da maternidade para a formação e treinamento da equipe. Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde/RR promoveu várias entrevistas nos meios de comunicação para esclarecer a população quanto a metodologia de classificação de risco e suas vantagens no serviço de urgência e emergência.
O apoiador institucional do PQM (Wagner Costa) acredita que a implantação desse serviço será um marco no SUS Roraima, diz ele: “O trabalho realizado pela equipe do HMI em parceria com o Minitério da Saúde através do Plano de Qualificação vem transformando os processos de trabalho na maternidade e mostrando a todos em nosso Estado que é possível implementar serviços humanizados quando os trabalhadores, gestores e usuários participam das decisões”.
O Ministério da Saúde (MS) vem implementando o serviço de acolhimento por classificação de risco desde 2004. A metodologia foi reforçada pela Rede Cegonha, por meio da portaria federal publicada em junho deste ano, que determina a implantação do serviço de Acolhimento nas maternidades do país.

 O arquivo do banner pode ser copiado livremente, está em formato Corel: (clique aqui)