2 de Abril. E eu acho até bom.

11 votos

Ele ia fazer um ano de existência um dia depois.

Eu Nasci. Fevereiro de 1995. Éramos dois.

Dois anos mais tarde. Dia das mães. Éramos três.

Mais uma Mãe Paulista. Mias um Pai Nordestino. Cinco.

No início era só blá blá blá e lá lá lá.

Bate palma, canta, dança, e pula-pula em cima da cama.

Uns anos passaram.

Teve início na escola, muito choro, e de repente… silêncio.

Ele já não cantava mais. Não nos olhava mais.

Alô, Alô! Planeta terra chamando! Planeta terra chamando!

Silêncio.

E ele não era mais como todo mundo.

Hoje eu acho até bom (isso de não ser como todo mundo). Mas naquela época não achava não.

Não entendia muito bem essa coisa de até ontem ele falava, agora não fala mais.

Essa coisa de gritar, de bater, de morder e (se) morder sem motivo.

Será que tinha motivo?

Um tempo depois disseram que sim: Au-tis-mo.

Aí eu vi minha mãe deixar de ser a mãe da gente.

Para ser a mãe dele.

Hoje eu (entendo) e acho até bom. Mas naquela época não achava não.

Era um entra e sai. Pega a bolsa e sai. Olhas os Documentos e sai.

Psiquiatra. Diagnóstico. Exame. Fonoaudióloga. Psicóloga. Terapeuta. AT.

RAPS. CAPS. CRAS. CREAS. LOAS. BPC. DSM. CID 10. F 84. TEA.

Risperidona. Dois miligramas. Farmácia de alto custo.

A sigla principal: SUS.

Tudo do-e-no SUS. Coisa boa. Coisa ruim. Mas era o que tinha.

(é o que temos até hoje, e por enquanto… teve golpe e tudo mais, sabe como é né?).

Sistema único de saúde. Rede de atendimento psicossocial. Centro de apoio psicossocial.

Escola especial? Sala especial? Atendimento preferencial?

Tudo só interrogação mesmo.

Ele não fala? Ele é mudo? Ele tem problema? Ele bate? Ele é agressivo? Ele faz as coisas sozinho?

Olhares de dó. Olhares de desprezo. Preconceito. Coitado. Que pena.

Tão bonito, nem parece que tem problema.

Tudo só afirmação mesmo.

Arrumar briga… ficar com raiva… não dormir… não descansar… Lu-tar…

Tudo só reticências mesmo… porque parece que vai continuar.

Agora eu acho até bom (essa coisa de Lutar). Mas no começo não achava não.

E tem tanta coisa (boa e ruim) que não cabe nessa falha tentativa de poesia

Teve muito sorriso também. Muito amor também. Muita alegria.

Muita folha desenhada e rasgada. Muita música compartilhada. Muita pipoca com chá.

E seguimos nos Conscientizando (ô palavrinha difícil!)

Precisaremos de dois de abril infinitos.

Entender. Aprender. Conhecer. Compreender. É difícil mesmo.

E sabe de uma coisa?

Hoje eu acho até bom Thiago. Hoje eu acho até bom.

(Cresça… independente do que aconteça… eu não quero que você esqueça, que eu gosto muito de você!)

Kezia Paz

 

Poesia dedicada a Thiago meu irmão, em lembrança ao dia 2 de Abril dia mundial da conscientização sobre o Autismo.