Calçada Amiga

9 votos

Conferência da Terra | Maio de 2008 | João Pessoa/PB

“CALÇADAS AMIGAS”: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO COMUNITÁRIA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Tadeu Mattos FARIAS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, tadeumattos@gmail.com

Rachel Medeiros de GÓES, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, racheldegoes@hotmail.com

Keyla Mafalda de Oliveira AMORIM, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, keylamafalda@yahoo.com.br

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo expor uma estratégia de intervenção comunitária que objetiva a participação popular na resolução de problemas ambientais. O uso dessa técnica atravessa uma perspectiva de mobilização e participação efetiva da comunidade frente a problemáticas ambientais oposta aos moldes tradicionais de educação ambiental. O modelo de educação ambiental proposto neste trabalho aponta contribuições para se atingir mudanças de atitude e ações da população nesse âmbito. Elementos como o desenvolvimento comunitário e o sentimento de pertencimento do morador em sua comunidade, o papel da comunicação, valores e identidade de lugar, o uso do contexto sócio-histórico e a escolha de espaços e disposições do trabalho foram usados na escolha estratégica de intervenção, de modo que facilitassem e encorajassem ao máximo a implicação e participação popular. Para este trabalho foram usadas: a concepção de educação popular, que ajuda a promover a construção e ampliação da participação popular nas políticas públicas, especialmente em seu gerenciamento; o processo de educação ambiental como gerador de reflexões para a apropriação crítica dos conhecimentos sobre relações humanas no e com o ambiente; e conceitos da Psicologia Ambiental, a qual considera que os ambientes influenciam as relações humanas em um sentido amplo, e não apenas o comportamento individual. O exemplo de intervenção foi intitulado de “calçadas amigas” e exercitado no Bairro de Cidade Nova, Natal-RN, Brasil.

Palavras-chave: mobilização popular, educação ambiental, estratégia de intervenção, comunidades.

Introdução

Inicialmente as “calçadas amigas” foram criadas por profissionais de uma equipe de saúde da família do bairro de Cidade Nova, no município de Natal-RN, Brasil, com o intuito de levantar demandas de saúde existentes. Posteriormente, foram adaptadas ao Programa de Educação Sanitária e Ambiental (PESA), o qual tem por objetivo promover educação ambiental relacionando-a com o contexto da saúde na proposta de prevenção e promoção da saúde preconizada nas diretrizes do SUS (Lei Orgânica da Saúde nº. 8080/92). Então usadas como forma de mobilização popular para enfrentamento dos problemas ambientais da comunidade.

A idéia substancial do PESA é que os indivíduos da comunidade possam inclinar sua atenção para questões ambientais do bairro, mormente aquelas que, de imediato, afetam a saúde da população local e, dessa forma, possam se tornar protagonistas na resolução de tais problemas com o suporte dos profissionais da Unidade de Saúde da Família do bairro (USF – Cidade Nova) . Esses profissionais, nessa forma de intervenção, atuam como agentes intermediários nos trabalhos, elaborando projetos de atuação no bairro, bem como agenciando a execução das propostas.

Sendo o bairro em foco, envolvido por questões ambientais problemáticas freqüentemente ressaltadas pelos moradores, a proposta chamada de “calçadas amigas” se tornou um caminho do PESA, o qual se fundamenta em uma visão de educação popular e de participação que é discutida por Paulo Freire e outros autores contemporâneos, para a execução de sua proposta em educação sanitária e ambiental.

Dessa forma, há de se atentar para como essa prática traz à tona o que existe de mais alarmante para os indivíduos envolvidos no contexto indicado, além da criação do espaço para a prática livre do discurso de quem de fato está sendo afetado por tal contexto e, por fim, coloca os moradores como indivíduos protagonistas na elucidação e resolução dos problemas, lhes edificando o sentimento de responsabilidade e envolvimento com o meio ambiente.