MOSTRA DE ARTE INSENSATA , uma celebração do movimento antimanicomial em BH

6votos

Este evento comemora os 15 anos da Política Municipal de Saude Mental de Belo Horizonte, com exposição de artes plásticas , oficinas, palestras, e muita música!!Em tudo isso a participação e o protagonismo dos sujeitos "portadores de sofrimento mental", loucos de desejo pela vida, com muita arte e conversas… Vou colar aqui o que está no site da PBH, onde, quem interessar, poderá ver o vídeo da mostra e outros detalhes:

< www.pbh.gov.br>:

30/05/2008 – Tom Zé encerra programação cultural da Mostra de Arte Insensata

O cantor e compositor Tom Zé, ícone da Música Popular Brasileira, fecha com chave de ouro a Mostra de Arte Insensata, no Espaço Funarte/Casa do Conde (rua Januária , 68, Floresta), neste sábado, dia 31, às 19h. O artista estará à disposição da imprensa às 11h, no local do evento.

Com 40 anos de carreira, Tom Zé, tropicalista nos anos 1960, é um dos artistas mais controversos e ativos do país, sendo reconhecido por sua criatividade em todo o mundo. Em Belo Horizonte, o artista apresenta seu último trabalho "Danç-Êh-Sá – Dança dos Herdeiros do Sacrifício".

Promovida pela Prefeitura, I Mostra de Arte Insensata difere de outros eventos do gênero do país por ter como foco central o portador de sofrimento mental, exibindo seus trabalhos artísticos, realizando oficinas destinadas a eles e colocando-os para trabalhar na organização. Dessa maneira, a Mostra evidencia a capacidade artística dos portadores , devolvendo-lhes a cidadania, além de coroar os 15 anos da política de saúde mental da Prefeitura, referência em todo o país.

No sábado, o público poderá conferir também a mostra dos trabalhos produzidos nas oficinas, às 15h. Invadindo a noite , às 17h, o Trem Tan Tan e Samba na Cabeça, que apresentam "Músicas de Composi (autores)". O show traz músicas de autoria deles, que são usuários dos serviços de Saúde Mental da Prefeitura. Muitas dessas composições fizeram parte do Cd "Trem Tan Tan e Samba na Cabeça", registro dos sambas compostos para o Dia Nacional da Luta Antimanicomial ao longo dos últimos oito anos. Na direção, Paulo Thomáz e Babilak Bah. No palco, junto aos músicos, o violão e a guitarra de Jorge Bonfá e o cavaquinho de Pagé.

Mais informações para a imprensa pelos telefones 3277 -9543 ou 3277-7756.