HUMANIZAÇÃO NO SUS – Dispositivos colocam maternidade entre as melhores, diz secretário Nacional.

12 votos

 

Na visita ao Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMINSN), o secretário Nacional da Atenção à Saúde, Helvécio Magalhaes, durante estada em Roraima, declarou que os dispositivos de acolhimento e humanização implantados, fazem com que a unidade esteja entre uma das melhores maternidades pública do País.

Acompanhado os secretários de Saúde Leocádio Vasconcelos e Miguel D'Elia, titular e adjunto, respectivamente, apoiadores das redes de atenção integral, da diretora do HMI, Ana Carolina Brito e do corpo técnico da maternidade, Magalhães conversou com pacientes, profissionais de saúde, e conheceu de perto os serviços prestados à população.

Implantada há 30 anos, é a única unidade maternidade pública em Roraima, atendendo pacientes da capital, que concentra quase 60% da população de Roraima, além de pacientes dos 15 municípios, da Venezuela e Guiana (países fronteiriços). Em média, são feitos 700 partos/mês.
Magalhães visitou diversos setores e alas, conheceu a estrutura física equipada para o parto humanizado, com apartamento individual, climatizado, banheiro individual e vivenciou que a lei federal e a Carta dos Direitos aos Usuários da Saúde, que dão direito ao acompanhante, são respeitadas; algo que em outras maternidades ainda não é realidade, mas o estado conseguiu implantar. “Posso dizer com tranquilidade que é uma das melhores maternidades pública do Brasil”, afirmou Magalhães, durante discursos da implantação da Central Estadual de Regulação e da Acolhida aos prefeitos, realizados pela SESAU dias 12 e 13, respectivamente.

Uns dos pontos mencionados por Magalhães, que serve como referência as outras cidades, são os partos humanizados realizados, inclusive às gestantes indígenas, respeitando as identidades étnicas de cada uma. Além de oferecer residência médica, a presença de equipe multiprofissional (fisioterapeuta, pediatra, psicólogo, técnica de enfermagem, enfermeiro-obstetra e médicos obstetras). “Ficamos muito satisfeito de a maternidade ser uma das bases da Rede Cegonha”, comentou.

Na oportunidade, ele adiantou que o MS vai apoiar a mudança do Centro de Referência Saúde da Mulher (CRSM) para outro local. A ideia é ampliar o espaço da Maternidade, além da construção da Casa da Gestante e do Centro de Parto Normal. Com a declaração do secretário nacional, Ana Carolina, diretora-geral do HMI, diz estar satisfeita pelo reconhecimento, “pois uma autoridade no âmbito da saúde nacional afirmar que estamos entre uma das melhores do país, no mínimo quer dizer que estamos no caminho certo”. “O reconhecimento vindo de um entendedor de saúde pública deve sim ser levada em conta. O nosso desafio é diário”, falou Ana Carolina.

Para Leocádio Vasconcelos, as declarações de um representante do Ministério da Saúde comprovam os esforços de toda a equipe da maternidade, do Governo do Estado e da SESAU, em garantir a qualidade nos serviços ofertados. “Ele (Magalhães) conheceu nossa estrutura e vivenciou a presença de acompanhantes em todos os apartamentos de partos humanizados, conversou rapidamente com servidores e usuários. Para nós é gratificante saber que estamos no caminho certo”, disse.

Vasconcelos lembrou que a “Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde” que traz informações sobre os direitos que o usuário do SUS deve ter na hora de procurar atendimento de saúde está disponibilizada em um dos corredores de maior circulação da maternidade. “Tem uma placa colada na parede para que todos tenham livre acesso à consulta. O usuário sabendo dos seus direitos e deveres, ele nos ajuda a oferecer uma saúde cada vez melhor”, finalizou.

Reportagem extraída do Site: http://www.saude.rr.gov.br/
Por: CELTON RAMOS/ASCOM/SESAU