5º Oficina AcolheSUS CAPS Renascer no Pará

5votos

 

A 5º Oficina AcolheSUS no CAPS Renascer no Pará entrou no processo de finalização de seu plano de ação com a roda de conversa de validação da modelização do Plano de Intervenção e dos seus indicadores. Nesse momento foi retomado todo o processo de construção do Plano de Ação, com seus objetivos estratégicos e atividades agora bem delineados, o grupo alcançou um modelo lógico para a resolução dos problemas priorizados de forma concreta, com ações ordenadas e focadas no objetivo de causar mudanças na rede de saúde, que serão monitorados e avaliados por indicadores.

Os dois problemas prioritários elencados se referem a integralidade do cuidado clínico-psiquiatrico e psíquico-social e a assistência farmacêutica em seu complexo círculo na rede de atenção à saúde.

As estratégias motriz da escolha desses problemas em primeiro lugar emergiram da perspectiva da diretriz Acolhimento materializada no dispositivo Assembleia de usuários e familiares, esse momento de escuta se configurou em um espaço para formular problemas e soluções, articular parceria e integrar estratégias de cuidado.

Em segundo, da estratégia que se conecta a diretriz de co-gestão materializada pelos dois colegiados formados pelo Projeto AcolheSUS, o Grupo Executivo Estadual(GEE) e o Grupo Executivo Local(GEL). Estes grupos sustentam a reflexão para além da trajetória terapêutica de um sujeito, pensam suas entradas e saídas por toda a rede de saúde, na perspectiva da indissociabilidade entre a atenção e a gestão que objetiva um resultado final comum da atenção à saúde, a integralidade do cuidado.

A 6º Oficina irá concluir a última etapa proposta no Projeto AcolheSUS, o início do monitoramento e avaliação do Plano de Intervenção Modelizado.