Fóruns Permanentes: Saúde Mental e Direitos Humanos

15votos

INFORMAÇÕES GERAIS

Data: 25 de Junho de 2013
Local: : Auditório do Centro de Convenções
Horário: : das 09h00 às 17h00

ORGANIZAÇÃO

GRUPO DE PESQUISA “SAÚDE COLETIVA E SAÚDE MENTAL: INTERFACES”

O Grupo Interfaces é coordenado pela médica sanitarista e professora doutora do Departamento de Saúde Coletiva, Rosana Teresa Onocko Campos, se constituiu em 2003 e realiza discussões teóricas sobre a temática das políticas públicas de saúde mental, enfatizando a avaliação dos centros de atenção psicossocial e os novos arranjos na organização da atenção básica em saúde.
É composto por estudantes de graduação e pós-graduação nas mais diversas áreas da saúde, tais como, medicina, psicologia, terapia ocupacional, enfermagem, assistência social e farmácia. A metodologia utilizada pelo grupo é a de pesquisa qualitativa e participativa.
Faz parte do diretório dos grupos de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), seguindo a linha de pesquisa Gestão e Subjetividade em Saúde: estudos das práticas e políticas de saúde. Tal linha pretende analisar e compreender as práticas e processos de produção em saúde por meio do mapeamento das potências de mudanças dos modelos assistenciais e das organizações. Trabalha também com a gestão institucional e estuda as relações intersubjetivas estabelecidas entre os diversos agentes dos processos assistenciais.

Site do Interfaces: http://www.fcm.unicamp.br/interfaces

SOBRE O EVENTO

Desde a segunda metade do século XX despontaram no mundo inteiro movimentos visando devolver aos doentes mentais seus direitos humanos básicos e o usufruto da cidadania. No Brasil, desde as lutas pela redemocratização, a Reforma Psiquiátrica buscou a construção de políticas públicas que permitissem o reconhecimento dos direitos dos usuários da Saúde Mental. É objetivo deste fórum aprofundar o debate da reforma psiquiátrica brasileira e atualizar seus desdobramentos, em tempos em que parecem ser retomados por alguns setores a privação de liberdade como estratégia terapêutica, e outras medidas que cerceam os direitos humanos e de cidadania dos usuários. Para tanto, propomos um evento que propicie a participação de familiares, usuários, trabalhadores, gestores e teóricos da área; e em que serão abordadas questões relevantes à assistência e às políticas públicas em saúde mental, incluindo a atual questão da abordagem dos usuários de álcool e outras drogas.

COORDENAÇÃO

Grupo de Pesquisa “Saúde Coletiva e Saúde Mental: Interfaces” /Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp.

PROGRAMA

08h30 – Credenciamento

09h00 – Mesa de Abertura:

Prof. Dr. Alvaro Penteado Crósta – Coordenador Geral da Coordenadoria Geral da UNICAMP

Prof. Dr. Mário Abdalla Saad– Diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp

Profa. Dra. Rosana Teresa Onocko Campos – Coordenadora do Grupo de Pesquisa “Saúde Coletiva e Saúde Mental: Interfaces”, professora do Departamento de Saúde Coletiva da FCM e coordenadora do evento.

09h30 – Mesa redonda: “Saúde e Direitos Humanos”.

Palestrantes:
Direitos humanos no Brasil: o que está mudando?

Maria do Rosário Nunes (a confirmar): Ministra da Secretaria de Direitos Humanos. É formada em Pedagogia pela UFRGS e mestre em Educação e Violência Infantil pela mesma universidade. Desde 2003, coordena a Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente. Foi vice-presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e presidenta da Comissão de Educação e Cultura.
Manicômios: a expropriação dos direitos.

Marcos Roberto Vieira Garcia: Professor da UFSCAR-Sorocaba. Doutor em Psicologia Social (USP). Coordenador do Núcleo Sorocaba da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO). Coordenador do Centro de Referência em Educação na Atenção ao Usuário de Drogas da região de Sorocaba (CREAD /Sorocaba). Membro do Fórum da Luta Antimanicomial de Sorocaba (FLAMAS).
Os direitos dos usuários nos serviços substitutivos.

Rosana Onocko Campos: Professora da UNICAMP no Departamento de Saúde Coletiva da FCM. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase nos seguintes temas: saúde coletiva, gestão e subjetividade, saúde mental, planejamento em saúde e políticas públicas, avaliação de políticas e serviços. Foi assessora da Política Nacional de Humanização em seus primórdios e da Coordenação Nacional de Saúde Mental/Ministério da Saúde. Participa ativamente da formação de médicos e é coordenadora da Residência Multiprofissional em Saúde Mental e em Planejamento e Administração de Serviços de Saúde, desde 1998. Coordena o grupo de pesquisa “Saúde Coletiva e Saúde Mental: Interfaces” desde 2003.  
A Importância de termos voz, nossa luta.

Sr. Geraldo Peixoto: Familiar de usuário de saúde mental e militante da Luta antimanicomial.

11h30 – Debate

12h00-14h00 – Almoço

14h00 – Mesa redonda: “Crack, Adolescência e Medicalização”.

Palestrantes:
Uma nova epidemia no Brasil?

Roberto Tykanori: é médico psiquiatra coordenador da área Técnica de Saúde Mental do Ministério da Saúde.
Você tem fome de quê? Adolescência no Brasil de hoje.

Maria Cristina Ventura Couto: Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é doutoranda do Programa de Psiquiatria e Saúde Mental do Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPUB/UFRJ). É psicóloga e pesquisadora do IPUB/UFRJ, exercendo atividades no Núcleo de Pesquisa em Políticas Públicas de Saúde Mental (NUPPSAM/IPUB) e no Centro de Atenção Psicossocial CARIM do IPUB, onde é supervisora clínico-institucional.
Quais princípios estão ativos?

Rafael Gil Medeiros: Graduado em Ciências Sociais (UFRGS). Cursa mestrado em Psicologia Social e Institucional (UFRGS), com orientação da Drª Analice de Lima Palombini, com projeto sobre Gestão Autônoma da Medicação em Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas. É colaborador do Coletivo Balance de Redução de Danos e do grupo Princípio Ativo, que promove debates de políticas sobre drogas desde 2005.
Acesso ao tratamento, novas demandas.

Renata Cruz Soares de Azevedo: Médica psiquiatra, Professora do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da FCM/UNICAMP, com Doutorado no tema Cocaína e AIDS. Coordenadora do Ambulatório de Substâncias Psicoativas (ASPA) do HC/UNICAMP e Programa de Prevenção ao Uso Indevido de Substâncias Psicoativas (Viva Mais) da UNICAMP. Participa do Pró Saúde 3 da FCM que tem como tema a integração ensino-serviço nos cursos de graduação em Medicina, Enfermagem e Fonoaudiologia na rede de atenção à saúde e linha de cuidado a usuários de álcool, tabaco, crack e outras drogas.

16h00-17h00 – Coffee break e lançamento de livro

17h00 – Encerramento

*Exposição artística de Crispim Antônio Campos na Casa do Lago, ex-membro do Grupo de Pesquisa “Saúde Coletiva e Saúde Mental: Interfaces” e professor doutor na Universidade Federal de Goiás.

Para realizar sua inscrição, acesse o link: http://foruns.bc.unicamp.br/

e cadastre-se.

fonte: http://foruns.bc.unicamp.br/foruns/projetocotuca/forum/htmls_descricoes_eventos/saude64.html