7º Mapeamento de Experiências Exitosas sobre Envelhecimento: inscrições abertas

7 votos

Com o objetivo de conhecer e dar visibilidade às boas práticas para a saúde da pessoa idosa em municípios, estados e Distrito Federal, estão abertas, a partir do dia 24 de junho, as inscrições para a sétima edição do Mapeamento de Experiências de Boas Práticas em Gestão Pública no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa – 2019, uma iniciativa da Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa (Cosapi/Diapes/Saps), do Ministério da Saúde, e do Grupo de Informação em Saúde e Envelhecimento – Gise, do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/Ministério da Saúde).

Realizado desde 2013, o Mapeamento reúne experiências exitosas de todas as regiões do Brasil, do Sistema Único de Saúde (SUS), ligadas aos diferentes níveis de cuidados ligados, da Atenção Básica ou Especializada, desenvolvidas junto à Estratégia de Saúde da Família (ESF), às Unidades Básicas de Saúde (UBS), aos Nùcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf-AB), à Atenção Domiciliar e à Hospitalar, e aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas – DSEIS. A experiência que concorrerá ao mapeamento pode ser desenvolvida em parceria com outros setores.

Categorias para inscrição

Os trabalhos deverão ser inscritos por categorias; assim, basta aos interessados localizarem na relação qual a que mais se aproxima do trabalho que será apresentado. Ao todo, são dez categorias:

  • Organização da atenção à saúde da pessoa idosa na Rede de Atenção à Saúde (implementação de linha de cuidado, regulação, fluxos, etc.);
  • Implementação da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa;
  • Matriciamento das equipes da atenção básica sobre as especificidades de saúde da pessoa idosa, elaboração de Projeto Terapêutico Singular-PTS;
  • Promoção da saúde da pessoa idosa (práticas corporais e atividades físicas, alimentação e nutrição, experiências inovadoras de educação em saúde etc.);
  • Prevenção de doenças e agravos em pessoas idosas (quedas, violência, suicídio, doenças crônicas não transmissíveis, uso abusivo de álcool, tabaco e outras drogas; acidentes de trânsito, saúde sexual e prevenção à IST/HIV-Aids e hepatites virais, etc.);
  • Atendimento em grupo com pessoas idosas (grupos terapêuticos, grupos operativos, etc.);
  • Reabilitação da pessoa idosa;
  • Atenção à saúde da pessoa idosa no ambiente domiciliar;
  • Promoção de atividades intersetoriais que beneficiem pessoas idosas por meio da integração do Setor Saúde com:  Assistência Social, Direitos Humanos, Educação, Transporte, Ministério Público, dentre outros;
  • Atividades do Setor Saúde indutoras da participação social da pessoa idosa (grupos de convivência; atividades culturais, artísticas, de recreação e lazer; ações intergeracionais; atividades que estimulem a participação na vida comunitária e cidadã; controle social).

Critérios de avaliação

Quatro critérios nortearão os critérios dos avaliadores, que darão nota máxima de 100 pontos, considerando:

  • Alinhamento com os princípios e diretrizes do SUS, com a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa (Anexo I do Anexo XI da Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017), com as com as diretrizes para organização das Redes de Atenção à Saúde (Anexo I da Portaria de Consolidação nº 3, de 28 de setembro de 2017) e com às políticas públicas do Ministério da Saúde relacionadas com o tema da experiência inscrita – 30 pontos;
  • Caráter inovador (a experiência que cria estratégias ou caminhos diferentes daqueles habituais utilizados para qualificar o cuidado à pessoa idosa. Segundo o edital, “a inovação não se refere necessariamente à invenção de novos produtos, serviços ou tecnologias, mas também à criação de modos diversos de organizar e otimizar serviços com os recursos já existentes”) – 20 pontos;
  • Reprodutibilidade em outras realidades – 20 pontos;
  • Relevância dos resultados – 30 pontos

Serão selecionadas as 14 experiências melhores avaliadas, considerando a representatividade regional. Todos os participantes receberão, por e-mail, o resultado da seleção que também será divulgado no site Saúde da Pessoa Idosa, do Icict. As experiências selecionadas ficarão disponibilizadas no site para que outras equipes que trabalham no mesmo tema possam ver o que está sendo feito em todo o país.

Em data ainda a ser definida, os coordenadores das 14 experiências selecionadas serão convidados a apresentarem seus trabalhos, quando receberão o ‘Certificado de Reconhecimento de Experiência de Boas Práticas no âmbito do SUS’ durante o evento organizado pela Cosapi e o Icict, que terá também como convidados integrantes do Colegiado Nacional de Coordenadores de Saúde da Pessoa Idosa, áreas técnicas do Ministério da Saúde, OPAS/OMS, CONASS, CONASEMS, CNDI, CNS, entre outros.

As inscrições devem ser realizadas até o dia 04 de agosto de 2019 e quaisquer dúvidas podem ser esclarecidas na Cosapi/MS, que fica na Esplanada dos Ministérios – Ministério da Saúde, Bloco G, Ed. Anexo, 4º Andar – Ala B – Brasília-DF, telefones (61) 3315- 8847 ou (61) 3315- 6226, e-maiil idoso@saude.gov.br

Para ler o Edital do 7º Mapeamento de Experiências de Boas Práticas em Gestão Pública no campo do Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa – 2019,, clique aqui

E para se inscrever, aqui