“A morte da clínica? Viver em tempos neoliberais” – Beatriz Preciado ( 2013 )

17 votos

10922643_10155024106140134_5391727880019318244_n.jpg

http://file.org.br/…/jo-ellsmere-pyewacket-kazyanenko…/

 

Beatriz Preciado é filósofa e professora da Université de Paris VIII, agitadora de corpos e mentes, e nos fala sobre a morte de uma certa concepção de clínica. A medicalização e normalização das subjetividades foram substituídas contemporaneamente por novos funcionamentos nem sempre explícitos em sua mecânica hoje. 

A normalização mesmo coexistindo cede lugar à lógica da empresa e da automação empreendedora, conforme relata o Laboratório de Sensibilidades, que disponibilizou o vídeo na rede.

Vídeo de grande potência afectiva e análise afiada ao lançar mão dos trabalhos de Foucault sobre o biopoder e a subjetivação a ele correspondente.