Encontro para debater os casos de crianças vítimas de violência

10votos

Uma das demandas que vem inquietando os profissionais do Hospital Infantil Lucídio Portella são os casos de crianças vítimas de violência que têm chegado no hospital. E o número de vítimas atendidas aumentou significativamente nos últimos meses, o que aponta como um grave problema de saúde pública. Os casos atendidos têm demandado um fluxo de atenção que envolve o cuidado de uma equipe multidisciplinar qualificada, com acionamento de uma rede de serviços que extrapolam os muros do hospital. Alguns casos assumem certa complexidade no atendimento, por vários fatores, sendo um deles, a procedência da vítima de outras cidades, e até de outros estados, o que foge da área de atuação dos conselhos tutelares da criança e do adolescente da capital. Tal cenário acaba dificultando a atenção integral, gerando nos profissionais o sentimento da não identificação e punição dos agressores, contribuindo para manter a condição de violência da criança.

Na reunião do colegiado gestor do hospital realizada no dia 26 de junho, o tema entrou em discussão, e teve como encaminhamento, a convocação dos profissionais do hospital, e das instâncias responsáveis pela proteção da criança e do adolescente, como os conselhos tutelares, a DPCA, o SANVIS, o Juizado da Vara da Infância e do Adolescente, dentre outros,  para um encontro no Hospital, no dia 11 de agosto.

O evento teve como finalidade discutir a violência contra a criança e o adolescente, os casos atendidos no hospital, no intuito de conhecer melhor a rede de proteção e apoio a essas vítimas, o fluxo de atendimento, de forma que amplie o grau de corresponsabilização dos profissionais, das instâncias gestoras e jurídicas, para uma intervenção mais integral e resolutiva para a vítima e família.