Não utilização e recomendação de pesticidas por servidores da saúde contra Escorpiões.

7 votos

O agente de saúde não deve realizar nem recomendar ao proprietário do imóvel a aplicação de produtos químicos (pesticidas), conforme orientação do Manual de Controle de Escorpiões do MS (pag. 37). É importante esclarecemos que a equipe de Busca Ativa BA, segue as orientações do Ministério da Saúde, que explica o que torna os escorpiões resistentes aos venenos é o fato dos escorpiões possuírem o hábito de permanecer em longos períodos em abrigos naturais ou artificiais que impedem que o inseticida entre em contato com o escorpião. Além disso, possuem capacidade de permanecer com seus estigmas pulmonares fechados por um longo período. A aplicação de produtos químicos de higienização doméstica compostos por formaldeídos, cresóis e paracloro-benzenos e de produtos utilizados como inseticidas, raticidas, mata-baratas ou repelentes do grupo dos piretróides e organofosforados não são indicados segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde do MS – Manual de Controle de Escorpiões, por causarem o desalojamento dos escorpiões para locais não expostos à ação desses produtos, aumentando o risco de acidentes. Além disso, cria-se a falsa sensação de proteção por parte dos moradores que acreditam que o problema foi resolvido, passando a negligenciar o trato com o ambiente.

“O hábito dos escorpiões de se abrigarem em frestas de paredes, embaixo de caixas, papelões, pilha de tijolos, telhas, madeiras, em fendas e rachaduras do solo, juntamente com sua capacidade de permanecer meses sem se movimentar, torna o tratamento químico ineficaz”(http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_controle_escorpioes.pdf).

Marcos Antonio Cordeiro
Responsável pelo Controle de Escorpiões DVE/NCZ Itajaí-SC.