Os serviços de saúde mental na reforma psiquiátrica brasileira sob a ótica familiar: uma revisão integrativa

3votos

Quintila Garcia Santos 1, Glauber Weder dos Santos Silva 2, Maura Vanessa Silva Sobreira 3, Francisco Arnoldo Nunes de Miranda 4

RESUMO:

Objetivo: investigar as contribuições das pesquisas científicas nacionais sobre o conhecimento familiar sobre os serviços de saúde mental após a reforma psiquiátrica brasileira. Método: trata-se de uma Revisão Integrativa de Literatura com emprego simultâneo dos descritores “saúde mental” e “família”, na base de dados LILACS, no período entre 2001 a 2013, selecionando-se 24 artigos científicos. Resultados: os eixos emergentes foram: “potencialidades dos serviços no contexto da Reforma Psiquiátrica Brasileira”, “a participação familiar” e “fragilidades enfrentadas para a efetivação da reforma psiquiátrica brasileira”. Conclusão: as famílias reconhecem a importância dos serviços substitutivos na assistência ao seu familiar portador de transtorno mental. De um lado, destacam diversas fragilidades estruturais, organizacionais e políticas desses serviços. Do outro, identificam algumas estratégias bem sucedidas no Brasil, as quais demonstraram que os entraves encontrados para a efetivação da Reforma Psiquiátrica podem ser superados. Descritores: Família, Saúde mental, Desinstitucionalização, Serviços de saúde mental.