Consciência Negra

7votos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A consciência possibilita ao Homem pensar o mundo que o rodeia e é nela que estão enraizados o sentimento de existência e o pensamento de morte, por exemplo. A consciência é a essência do ser humano e fonte de conhecimento e de verdade.
De acordo com Descartes, e o seu princípio “penso, logo existo”, a consciência surge como fundamento e modelo de todo o conhecimento. Através dela sabe-se que se existe e que se é, ou seja, uma coisa pensante.

Criado em 2003  e instituído em âmbito nacional mediante a lei 12.519 o Brasil passa a ter o Dia da Consciência Negra  datado para o dia 20 de Novembro em homenagem  ao dia correspondente a morte de  Zumbi dos Palmares (1695), líder negro alagoano do quilombo dos Palmares, que lutou contra a escravatura na época do Brasil colonial. O quilombo  é o nome dado  ao  local de refúgio dos escravos fugidos de engenhos e fazendas durante o período colonial e imperial , local em que os negros podiam viver em liberdade. O nome de Zumbi virou símbolo de luta e resistência.

 O dia 20 de novembro tornou-se um dia marcante de lembrança de lutas, de consolidar  a cultura negra,  de valorizar o negro com todo o seu potencial humano, de tentar pôr fim a preconceitos raciais, de mostrar a religiosidade da raça e envolver toda a sociedade para uma maior humanização.

À partir de 2011 a data tornou-se feriado em cerca de 800 cidade brasileiras. É um dia de comemoração e respeito à cultura Afro-brasileira.

O discurso em torno da questão negra adentra todas as esferas da atividade humana. Há ícones na política e religião como Mandela, Martin Luther King, Desmond Tutu  e Barack Obama. No cinema como Spike Lee, Morgan Freeman, Will Smith, Lázaro Ramos e  Milton Gonçalves . Na música eles são milhares e com muito destaque como o extraordinário Milton Nascimento. Na literatura brasileira nomes como Lima Barreto, Cruz e Sousa, Machado de Assis e na atualidade se destaca também a professora/escritora Conceição Evaristo.

 Ao longo dos anos muitos poetas retrataram a abraçaram a causa do Negro . Castro Alves procurou aprofundar as implicações humanas da escravatura adequando a sua eloqüência condoreira à luta abolicionista. Retrata o escravo de modo romanticamente trágico para despertar a sociedade, habituada a três séculos de escravidão, para o que há de mais desumano nesse regime. Enfim, as artes sempre problematizaram e deram voz aos silenciados pelo racismo e preconceito.

 É um dever cívico e acima de tudo humano o papel  de conscientizar a todos a questão  negra ao longo da História.

Rendo  essa homenagem enaltecendo o Negro, apoiando suas lutas por uma sociedade menos preconceituosa,  mais justa e desejando que  muitos sorrisos negros se espalhem e brilhem pelo Brasil afora.

Como cantou  D. Ivone Lara:

“Um  sorriso negro
Um abraço negro
Traz felicidade
Negro sem emprego
Fica sem sossego
Negro é a raiz de liberdade

Negro é uma cor de respeito
Negro é inspiração
Negro é silêncio é luto
Negro é a solidão
Negro que já foi escravo
Negro é a voz da verdade
Negro é destino é amor
Negro  também é saudade”