Gestão discute benefícios da interação com animais no ambiente Hospitalar

7votos

 

Imagine se você pudesse levar seu animal de estimação para a sala de aula. Vá mais longe e imagine como seria ótimo se você pudesse ter a companhia do seu fiel amigo durante uma situação difícil, como uma internação hospitalar, por exemplo.

 

Estas foram as ideias que tornaram uma aula de Hotelaria Hospitalar, do curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar, um pouco diferente, em que os pets puderam participar, como convidados especiais, da palestra sobre “Assistência auxiliada por animais como uma prática de humanização emergente”, com as psicólogas Jéssica Fernandes Albeirice da Rocha e Raquel Tomasi Bastos.

 

Durante a aula compartilhada, a Júlia e a Emylly, o Vinicius e a Ponio, a Paula e o Murphy e os demais alunos do 5º módulo puderam conhecer os resultados da pesquisa realizada pelas psicólogas sobre os benefícios do projeto de cinoterapia (terapia com auxílio de cães) adotado no Hospital Infantil de Joinville. Desde novembro de 2013, uma cachorra da raça golden retriever e de nome Tosca faz visitas semanais às crianças internadas.

 

“A interação com a cachorra melhora o estado psicológico das crianças e, posteriormente, o físico também”, relatam as psicólogas, que fizeram observações durante a após as visitas do animal. “A visita descontrai o ambiente e promove maior interação da criança com seus acompanhantes e demais profissionais do hospital, contribuindo para que a criança se torne mais cooperativa nos procedimentos hospitalares, além de ser uma estratégia alternativa para amenizar o desconforto da internação”, explicam.

 

Segundo a professora de Gestão Hospitalar, Marceli Albeirice da Rocha, a aula diferenciada teve como objetivo apresentar novas estratégias para a gestão hospitalar. “O gestor precisa visualizar este novo leque de trabalho, em que a assistência possa ser mais humana e lúdica para pacientes e acompanhantes”, afirma. “Se em uma aula com os animais na sala, a gente já notou que os tutores ficaram mais tranquilos e a turma mais descontraída, imagine a alegria das crianças internadas se puderem receber a visita de seus animais.”

 

O projeto de cinoterapia no Hospital Infantil tem o acompanhamento dos setores de pedagogia e psicologia e passou pela aprovação da equipe médica e da direção do hospital. A cachorra é treinada e passa por procedimentos junto à equipe do hospital antes das visitas semanais. Da mesma forma, a participação dos cães nesta aula de Gestão Hospitalar foi autorizada pela Vigilância Sanitária.

 

Inscrições abertas

 

Para quem tiver interesse em fazer o curso superior de tecnologia em Gestão Hospitalar, a boa notícia é que as inscrições para o vestibular estão abertas até o dia 11 de junho. A inscrição é online e deve ser feita no Sistema de Ingresso do IFSC. O curso é gratuito, mas tem uma taxa de inscrição para a seleção, no valor de R$ 75 reais. No próximo semestre, as aulas serão no período noturno.

 

O curso tem duração de seis semestres, com carga horária de 2.600 horas/aula. A área de atuação do tecnólogo em Gestão Hospitalar é bastante abrangente, já que o profissional atua no planejamento, organização e gerenciamento dos processos de trabalho em saúde, envolvendo a área de gestão de pessoas, materiais e equipamentos. É ele quem organiza e controla compras e custos, áreas de apoio e logística hospitalar, bem como acompanha e supervisiona contratos e convênios.

 

Pelo vestibular, são 20 vagas disponíveis. Outras 20 vagas serão disponibilizadas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa a nota do Enem do ano anterior. O edital que vai regulamentar esse processo seletivo será lançado nos próximos dias.

 

Por Liane Dani | Jornalista IFSC