A formação pelo trabalho e o protagonismo dos estudantes

5 votos

Apresentação

Os textos organizados neste livro são originários de uma iniciativa conjunta da Revista Interface e da Rede Unida que, por meio de uma chamada pública, convidaram à submissão de manuscritos relativos à reflexão e experiência no Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde) e no Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde (Pró-Saúde), ambos programas de iniciativa do Ministério da Saúde e implementados por instituições de ensino e instâncias do Sistema Único de Saúde. Tais programas previam a busca por maior integração entre a formação e o trabalho na saúde, o fomento à mudança no ensino nestas careiras e o apoio ao desenvolvimento profissional na rede de serviços e de gestão desse setor, assim como a ampliação da participação popular.

A iniciativa almejava incentivar a produção de análises e o compartilhamento de conhecimentos sobre a formação nas graduações em saúde diante de sua presença nos cenários da atenção básica e na construção do trabalho em equipes multiprofissionais e interdisciplinares. Foram apresentados quase 400 manuscritos, submetidos à avaliação por pares e, desses, 28 artigos compuseram o Suplemento da Revista Interface (Suplemento 1, 2015). Outros 53 manuscritos foram aprovados para o projeto editorial de uma Coletânea. Dada a densidade dos relatos, quando observada a sua distribuição por conteúdos analisados e focos explorados às narrativas, optou-se pela organização de quatro coletâneas temáticas, agregando perfis no tratamento dos componentes da prática, escolhas metodológicas à abordagem ou segmento privilegiado dentre às diretrizes e orientação política dos programas.

A iniciativa permitiu constatar uma grande vitalidade nas experiências do PET-Saúde e Pró-Saúde, sua potência na multiplicidade de olhares e formas de interação entre a formação universitária e os sistemas locais de saúde, assim como o esforço de um exercício intelectual sobre o fazer. Sobretudo, permitiu visibilidade à potencialidade do encontro entre a formação universitária e o trabalho no sistema de saúde, seus efeitos na formação de profissionais e na produção de conhecimentos e tecnologias de apoio às práticas de ensino, de avaliação e de apoio aos serviços e à população. Nessa publicação estão 14 capítulos com experiências cujo protagonismo é dos estudantes, na experiência e na análise da mesma, acrescidos por um capítulo no formato de ensaio teórico feito pelos organizadores.

Os textos foram agrupados em duas sessões: “Formação e Protagonismo” e “Presença e Profissionalização”. A leitura dos capítulos permite perceber e refletir sobre componentes fundamentais para a composição do perfil e pouco analisados na formação profissional: sentimentos, percepções, vivências e a interação propriamente dita com os serviços e territórios.

 

http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/168724/001048669.pdf?sequence=1