A importância de falar sobre “Gestão em Saúde” com Estudantes do Curso Médico

9 votos

De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso Médico, propostas pelo MEC, em 2014 existem algumas competências que precisam ser desenvolvidas para o médico em formação. Essas competências estão relacionadas com a capacidade de mobilizar conhecimentos, habilidades e atitudes afim de resolver problemas e situações reais, de maneira tal, que seja possível uma adequada atuação profissional. Uma das competências gerais sugeridas pelas DCNs de 2014 é a administração, associada ao gerenciamento, com enfoque na aptidão do profissional médico em gerenciar e administrar tanto a força de trabalho, os recursos físicos, materiais e informacionais, como também serem gestores, empregadores ou líderes nas equipes de saúde.

Professores do Programa de Aproximação Progressiva à Prática (PAPP) do Curso de Medicina da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) entenderam que a gestão em saúde, como competência médica, tem uma grande importância, se destacando como um objetivo da formação de seus estudantes. No início do segundo Semestre Letivo de 2019 o Termo 5 foi convidado pela Coordenação do PAPP, a planejar Ações em Saúde a serem desenvolvidas nas sete Estratégias Saúde da Família (ESFs), localizadas nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado, no interior de SP. A ideia é alcançar uma prática eficaz, capaz de solucionar problemas e de melhorar os contextos sociais, por meio de uma gestão responsável e uso eficiente dos recursos em cada Unidade de Saúde. Os estudantes médicos são inseridos nas ESFs desde o termo 1, como membros das Equipes Interdisciplinares, graças a uma parceria Academia-Serviço, firmada entre as Secretarias de Saúde das duas cidades e a Universidade do Oeste Paulista.

A Coordenação do PAPP/UNOESTE, no CAMPUS PRESIDENTE PRUDENTE, aposta na importância do envolvimento do acadêmico do Curso Médico nas práticas relacionadas às ciências da gestão nas ESFs de Prudente e Machado. Os Professores do PAPP estimulam a participação do discente, considerando-se como fundamental para o cumprimento das diretrizes curriculares nacionais (DCNs 2014). O PAPP/UNOESTE/PP considera que o ensino da Gestão em Saúde deve estar presente desde o ensino básico até o avançado. Ele precisa ser considerado tão importante quanto o conhecimento biomédico e ético, devendo ser parte integrante da análise dos Determinantes Sociais de Saúde, impactando no desenvolvimento pessoal e social, nas comunidades ligadas às ESFs dos dois municípios citados. Os estudantes de medicina avaliaram positivamente sua participação na construção do Planejamento para suas Ações em Saúde que serão executadas no semestre 2 de 2019, nas ESFs de Prudente e Machado. Entenderam que farão parte, junto com os profissionais das outras áreas da saúde, do grupo de futuros gestores em cada localidade, na qual poderão atuar como trabalhadores da Saúde.

 

Referências:
1.            Brasil. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina [acesso em 04 08 2019]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/Med.pdf
2.            Brasil. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES N°4, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina [acesso em 04 08 2019]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES04.pdf
3.            Amoretti R. A educação médica diante das necessidades sociais em saúde. Revista Brasileira de Educação Médica. 2005; 29(2): 136-146.
4.            Carvalho SR, Campos GWS, Oliveira GN. Reflexões sobre o ensino de gestão em saúde no internato de medicina na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas: Unicamp. Interface (Botucatu) [acesso em 04 08 2019]. 2009;13(29): 455-465. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832009000200017&lng=en