AbrAceSUS Construindo a RAPS em Pomerode SC

10 votos

A Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) propõe um novo modelo de atenção em saúde mental, a partir do acesso e a promoção de direitos das pessoas, baseado na convivência dentro da sociedade. Além de mais acessível, a rede ainda tem como objetivo articular ações e serviços de saúde em diferentes níveis de complexidade.
No município de Pomerode – SC, criou-se o Grupo Condutor AbrAceSUS, formado por profissionais de Saúde que tem o objetivo de alinhar os processos de trabalho da Rede de Atenção Psicossocial do município, compondo com os diversos trabalhadores e demais serviços da comunidade a oferta dos cuidados necessários à população, em consonância com a Política Nacional de Saúde Mental. Os trabalhos foram iniciados em fevereiro de 2019 com o apoio da Psicóloga Angela, de Joinville, com vasta experiência neste trabalho. Além de organizar a RAPS, têm servido de canal de escuta dos diversos profissionais da rede.

Este trabalho de tecitura da rede que vem sendo desenvolvido acabou por culminar em um ponto de encontro que se constituiu no Seminário ” A Intersetorialidade na Rede de Atenção Psicossocial RAPS” no dia 30 08 2019.

Participaram deste encontro Gestores do Município representados pela Vice Prefeita Gladys Sievert, na ocasião prefeita em exercício, a Secretária Municipal de Saúde Lígia Hoepfner bem como os profissionais de saúde integrantes do Grupo Condutor AbrAceSUS. Além do mais foram convidados e compareceram ativamente profissionais da Atenção Primária, Conselho Municipal e locais de Saúde, CAPS, Hospital  Rio do Testo, SAMU, da Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação, Ministério Publico, Policia Civil, Polícia Militar, Bombeiros, e Conselho Tutelar.

Os trabalhos iniciaram com a mesa das autoridades e seguida pela fala ” A Intersetorialidade na Rede de Atenção Psicossocial RAPS” pela profissional de saúde Patrícia de Souza Campos Silva, onde discorreu sobre a importância do SUS para a saúde no Brasil, bem como a visão sobre o conceito ampliado de saúde e as nuances das conexões de uma rede complexa como a RAPS e seus aspectos não só relacionados a saúde bem como a importância das conexões intersetoriais.

Dando sequência a programação ocorreu uma mesa onde os serviços de Saúde CAPS, NASF e Atenção Primária apresentaram suas ações relacionadas a saúde mental no município.

No período da tarde os demais órgãos da rede Intersetorial também apresentaram suas ações em relação a saúde mental em suas respectivas áreas: Conselho tutelar, Educação, Assistência Social, Ministério Público e Hospital Geral.

Ao final do evento abriu se espaço de discussão onde as dificuldades encontradas pelas partes nesta relação ampla da rede puderam ser explicitadas. Todos as problemas levantados foram anotados e passarão e ser debatidos um a um por uma Colegiado Intersetorial da RAPS, onde os diversos serviços participantes definiram seus representantes. Ficou agendada uma primeira reunião deste colegiado para primeira quinzena de outubro de 2019 onde estes pontos voltarão a pauta para serem melhor debatidos com mais detalhes e construção de propostas de ação.

Considero ter sido um grande passo em favor da saúde mental no município onde a rede agora intersetorial se espera ser mais resolutiva nas diversas áreas envolvidas.