Acadêmicos de Medicina organizam ação de Educação em Saúde com o tema: Prevenção de ISTs no PSE

13 votos

A promoção da saúde teve destaque internacional a partir da Carta de Ottawa, em 1986, como resultado da I Conferência Internacional sobre promoção da saúde. Esta Conferência foi inspirada nos princípios da declaração de Alma-Ata. Os dois eventos priorizaram a atenção primária, a atenção à saúde da criança de 0 a 6 anos e da mulher. Dessa maneira, os serviços de proteção materno-infantil ficaram em destaque. Consequentemente, o mundo pôde assistir alguns avanços na atenção na saúde destes grupos. No entanto, houve uma certa exclusão na atenção à saúde do grupo de escolares, ou seja, crianças de 7 a 10 anos, voltando-se, a seguir, as atenções mundiais para a saúde do adolescente.

O Programa Saúde na Escola (PSE) pode ser entendido como uma estratégia que procura integrar ações de educação e de saúde com o objetivo de auxiliar na formação integral dos estudantes da rede pública de educação básica. Nesre Programa são executadas ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. O PSE auxilia no fortalecimento de ações que articulem saúde e educação com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que podem comprometer os grupos populacionais de aprendizes. Dessa maneira, o PSE deverá ser implementado a partir da participação das equipes de ESF. Essas equipes devem se integrar com a escola, em um determinado território, com foco nos princípios do SUS.

Acadêmicos do Curso Médico da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE), no Campus de Presidente Prudente, são inseridos em oito Estratégias Saúde da Família nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado. Os Facilitadores estimulam a criação de Planos de Ação a partir das Necessidades de Saúde das pessoas que residem nos territórios adscritos às ESFs.

Um dos Planos de Ação desenvolvido pelos acadêmicos, a partir da Metodologia Ativa da Problematização, no Território do Jardim Morada do Sol, em Presidente Prudente, esteve relacionado a criação de Ambientes Saudáveis para adolescentes, no Programa Saúde na Escola. Acadêmicos construíram Rodas de Conversa com os adolescentes a partir de casos disparadores, relacionados às ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis). Os escolares tiveram a oportunidade de escrever suas dúvidas, relacionadas às IST’s, em folhas de sulfite, resguardando o sigilo e confidencialidade. Os Acadêmicos, foram previamente capacitados pelos Facilitadores do Programa de Aproximação Progressiva à Prática (PAPP/UNOESTE) e responderam aos questionamentos dos escolares, a partir de suas dúvidas.

Após a realização do Plano de Ação, os Facilitadores utilizaram o Arco de Maguerez, para estimularem a Reflexão na Ação. Acadêmicos consideraram que conhecer, planejar e executar as ações do PSE confirmam a articulação dos setores educação e saúde e a aproximação das propostas de promoção de saúde com adolescentes na escola, sinalizando as possibilidades de sucesso dessa prática intersetorial.

 

Referências: Promoção da saúde de adolescentes e Programa Saúde na Escola: complexidade na articulação saúde e educação. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.scielo.br/scielo.php%3Fscript%3Dsci_arttext%26pid%3DS0080-62342017000100454&ved=2ahUKEwj04Obq3YXmAhVZILkGHbuIDrQQFjAPegQIChAB&usg=AOvVaw0YsVRbWCzWX_3dAPjV_vAe Consulta em 25 11 2019 às 14h 03min .