Acadêmicos do Curso Médico capacitam Agentes Comunitários de Saúde, em relação a imunização.

11 votos

 

 

Estudantes de Medicina se inserem como membros de Equipes Interdisciplinares, em cinco Estratégias Saúde da Família (ESFs) na cidade de Presidente Prudente, SP, a partir de uma parceria entre a Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) e A Secretaria Municipal de Saúde local (SMS-PP).
Metodologias Ativas como a Problematização são utilizadas pelos Facilitadores da UNOESTE, para estimular a criação de Planos de Ação, com ocorrência mensal, voltados à Criação de Ambientes Saudáveis para a população adscrita ao território das ESFs.
Um dos Planos de Ação esteve voltado ao Eixo dos Processos de Trabalho em Saúde, proposto pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) de 2014. Acadêmicos do Curso Médico, sob supervisão docente, organizaram uma Roda de Conversa relacionada às Imunizações, com foco na sua importância para a Atenção Primária.
Após a Roda de Conversa dos acadêmicos da FAMEPP/UNOESTE, com trabalhadores da Saúde, na ESF, os estudantes refletiram sobre suas práticas, com auxílio do “Arco de Maguerez”.
A partir do contato dos acadêmicos com os trabalhadores da Saúde na ESF, estudantes consideraram que os profissionais da ESF enfrentam muitos desafios na realização do trabalho em equipe. As relações interpessoais, exemplificadas pela presença de conflitos podem ser exemplos de distanciamento entre os membros da equipe. Durante a atividade de Educação Permanente, os acadêmicos procuraram estabelecer um vínculo de respeito e confiança entre os membros da equipe interdisciplinar. A facilitadora considerou a dificuldade em se lidar com pontos de vista, cultura, crenças e personalidades diferentes durante o processo de capacitação da equipe. Estudantes perguntaram aos participantes se eles realmente acreditam na eficácia e na importância das Vacinas para a Atenção Básica, antes do início da Roda de Conversa. Acadêmicos também verificaram a atualização do calendário vacinal de cada um dos trabalhadores da Saúde da ESF. A facilitadora considerou que ocorreram mudanças no âmbito da Atenção Primária a Saúde como, por exemplo, a incorporação da equipe de saúde bucal, na ESF. A docente estimulou os estudantes em relação à importância desse profissional na atualização do calendário vacinal de todos os usuários do SUS. Estudantes consideraram que os desafios de capacitar as equipes interdisciplinares na ESF podem ser superados pela incorporação de algumas estratégias como: organização de reuniões periódicas de equipe, conhecimento e valorização do papel de cada um de seus membros e criação de possibilidades de estreitamento do vínculo entre os trabalhadores da Saúde, para além do ambiente de trabalho.
Os participantes consideraram como positiva a ação de Criação de Ambientes Saudáveis e Boas Relações de Trabalho entre os membros da ESF.

Referências:

Silva JAM, Peduzzi M, Orchard C, Leonello VM. Educação interprofissional e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015; [cited 2018 Mar 6]; 49(no.esp2):16-24. Available from: http://www.scielo.br/ pdf/reeusp/v49nspe2/1980-220X- reeusp-49-spe2-0016.pdf [  Links ]