AÇÕES EDUCATIVAS COM FOCO NA INTEGRALIDADE DO CUIDADO À SAÚDE DA MULHER SÃO REALIZADAS EM UMA ESF

11 votos

Estudantes do Curso Médico foram estimulados por Facilitadores e Preceptores Médicos, em uma Universidade do interior de SP, no Município de Presidente Prudente, para a criação de Planos de Ação envolvendo a Atenção Integral à Saúde da Mulher, no Outubro Rosa de 2019. Após a realização da Ação, que teve foco na Educação em Saúde, para mulheres da Comunidade do Jardim Humberto Salvador, em Presidente Prudente, acadêmicos da UNOESTE, foram estimulados, por meio do Arco de Maguerez, para reflexões na Ação.
A Preceptora considerou, na reunião de Equipe local, que a política atual de atenção integral à saúde da mulher sugere a incorporação do princípio da integralidade e da dimensão de gênero nas práticas profissionais.
Após a busca em fontes especializadas, acadêmicos médicos refletiram que o termo integralidade, para além de ser um princípio presente na Constituição Brasileira, entendido como alicerce da humanização do cuidado em saúde, traz a possibilidade de incorporar as necessidades
mais abrangentes das pessoas, com foco na articulação entre as atividades prevenção, promoção e assistência. Facilitadores valorizaram o termo como Princípio do SUS, entendido de maneira
polissêmica, na medida em que tenta expressar um conjunto de valores pelos quais
vale a pena lutarmos. Esses valores estão relacionados com ideais de uma sociedade
mais solidaria e mais justa para todos.
A Intersetorialidade foi considerada precária pelos integrantes, que sugeriram maiores investimentos da equipe da ESF nas ações de Promoção à Saúde da Mulher, devendo extrapolar a responsabilidade do setor
saúde, indicando novas possibilidades de enfrentar os problemas de saúde do bairro.
O trabalho interdisciplinar foi muito valorizado pelos presentes, associado a uma maior
compreensão dos determinantes do processo saúde-
doença. Estudantes entenderam que a integralidade deve ser considerada um ideal que vai regular as ações na ESF. Esse ideal pode parecer impossível de ser atingido plenamente, mas que frequentemente necessita ser buscado pelo grupo.
Acadêmicos concluíram, ao final das reflexões relacionadas à PNAISM ( Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher) que o cuidado a esse grupo
deve ser envolvido pelo acolhimento com uma escuta ampliada das demandas femininas. Preceptores propuseram uma valorização da influência das relações de
gênero, raça/cor, classe e geração no processo de saúde e de
adoecimento das mulheres, para a construção de novas ações com foco na Promoção à Saúde. Participantes consideraram como positiva a ação de Criação de Ambientes Saudáveis no território da ESF no interior de SP.

Referências:
INTEGRALIDADE DO CUIDADO À SAÚDE DA MULHER: LIMITES DA
PRÁTICA PROFISSIONAL
Disponível em:
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.scielo.br/pdf/ean/v13n1/v13n1a21&ved=2ahUKEwio1cu4pr3lAhVwHLkGHUHmBHsQFjACegQIBBAB&usg=AOvVaw3hSRODFVjDeMo90PtF_c0p
Consulta em 25 10 2019 às 16h 30min.