Atenção Básica e Vigilância em Saúde do Trabalhador no território de uma ESF do Interior Paulista. O olhar do estudante do Curso Médico.

8votos

Estudantes do Curso Médico se inserem como membros das equipes interdisciplinares de 5 ESFs em um município de cerca de duzentos mil habitantes, no Interior Paulista.
São utilizadas Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem como a Problematização nos Ciclos Pedagógicos, que ocorrem mensalmente nas ESFs.
Um dos planos de ação, criado pelos estudantes esteve relacionado com o Eixo da Educação em Saúde. Os aprendizes organizaram uma Roda de Conversa com trabalhadores do território da ESF visando a criação de ambientes saudáveis para a comunidade.
Após a Roda de Conversa com os trabalhadores, os estudantes refletiram com a equipe de trabalhadores na ESF a respeito de ações de Vigilância em Saúde do Trabalhador que não estão incorporadas no cotidiano de trabalho da equipe. Conversaram sobre a possibilidade de realizar mapeamento das atividades produtivas no território da ESF. Possibilidade de correlacionar o trabalho das pessoas adstritas ao território com situações de riscos para a saúde. Além de programar ações para eliminar/mitigar a exposição a situações de riscos e vulnerabilidade. A aproximação das equipes
de Saúde da Família com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Município foi estimulada pelos facilitadores. A Vigilância em Saúde do Trabalhador foi ventilada na reunião após a execução do Plano de Ação. A participação da equipe em
processos de qualificação em saúde do trabalhador foi sugerida pelos profissionais de saúde participantes. Estudantes e trabalhadores em saúde na ESF perceberam a necessidade de ampliar e fortalecer os processos de educação permanente e apoio
técnico às equipes.
Os participantes avaliaram como positiva a ação e as reflexões da equipe relacionadas ao Protagonismo do usuário trabalhador no SUS.