AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ASSISTIDA POR ANIMAIS DURANTE O DIA DE VACINAÇÃO

8 votos

Autores: Tatiane Boastik1; Rutiane Binotto2.

1.Fisioterapeuta, Coordenadora NASF na Secretária Municipal de Saúde de Santa Terezinha do Progresso – SC

2. Enfermeira, Especialista em Acupuntura, Coordenadora ESF na Secretária Municipal de Saúde de Santa Terezinha do Progresso – SC

E-mail: tatyboastik@gmail.com

Introdução

O município de Santa Terezinha do Progresso está situado no Extremo Oeste Catarinense, possui uma população de 2557 habitantes. Com uma faixa territorial de 118,997 Km² tem a maior parte da população moradora da zona rural. O munícipio tem sua economia baseada na agricultura familiar (SANTA TEREZINAHDO PROGRESSO, 2019). Uma equipe de atende toda a população rural e urbana, composta por uma equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF), Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

A partir de 2019 começou a ser trabalhado na UBS de Santa Terezinha do Progresso a Terapias Assistidas por Animais (TAA) durante as sessões de fisioterapia e em grupos infantis e de saúde mental. Estas intervenções foram adotadas para agregar ao tratamento, visando o aumento do estímulo do paciente ao tratamento, maior colaboração nas atividades, maior interação entre a equipe e o paciente e também o aumento dos vínculos.

A TAA tem como objetivo inserir o animal como co-terapeuta, com finalidade de criar um vínculo entre o paciente e o terapeuta, seus benefícios vão além da sensação de bem-estar pois fisiologicamente ocorre a redução da pressão sanguínea, redução da frequência cardíaca e também a liberação de endorfinas em quem participa de uma sessão de TAA (DOTTI, 2014). Estes indivíduos relatam menor intensidade da dor, melhora no humor, redução do uso de medicamentos e melhor qualidade de vida (PEDROSA, 2017).

Justificativa

Apesar da vacinação ser de extrema importância para a saúde, no Brasil seus índices vêm caindo ano a ano após 2013, tendo em 2016 sua pior taxa de imunização da última década com 84% no total, muito abaixo doas 95% que é a meta recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) (Guimarães, 2017). Diante de tal preocupação surge a necessidade de novas abordagens que incentivem a vacinação e que aproximem esse público das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Uma estratégia possível para a facilitação e estímulo à vacinação é a Atividade Assistida por Animais (AAA).

Objetivo Geral

O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção de pais de crianças que participaram de uma Atividade Assistida por Animais na espera da vacina no dia D de vacinação na UBS de Santa Terezinha do Progresso -SC.

Objetivos Específicos

·         Incentivar a população do município a realizar a vacinação em dia;

·         Tornar o processo de vacinação menos hostil e mais acolhedor na visão das crianças;

·         Fomentar o processo de humanização no SUS;

·         Melhorar o acolhimento.

Desenvolvimento

O presente estudo trata de um relato de experiência, que avaliou crianças de 0 a 6 anos que participaram da AAA enquanto aguardavam a vacina no dia 04 de maio de 2019 em Santa Terezinha do Progresso – SC.

A intervenção consistiu em uma atividade na sala de espera da vacina, onde foi utilizado um tapete onde o cão, a mediadora e as crianças poderiam alocar-se para realizar atividades de pinturas, brincar, escovar ou interagir com o cão. A mediadora da intervenção foi a Fisioterapeuta, condutora do cão. O cão utilizado foi um cão da raça Golden Retriever, macho, com 02 anos de idade, adestrado para trabalhar com TAA, castrado e vacinado. Todos os cuidados com a higiene do cão foram tomados neste dia.

Os pais chegavam com as crianças que eram convidadas a participar da intervenção, as mesmas permaneciam com o cão até o exato momento de ser chamada para realizar a vacina. Após a vacina a criança poderia voltar e se despedir do cão e também levar um desenho para colorir em casa.

Fonte: Autora, 2019. Imagens autorizadas.

A avaliação foi realizada através de questionário, entregue aos pais pelos ACS após alguns dias da intervenção com as seguintes perguntas: O que achou do uso do cão na espera da vacina? Qual foi a reação de seu filho em relação a presença do cão na espera da vacina? Comparando métodos tradicionais como o Zé gotinha ou brinquedos, como foi o interesse do filho pelo cão? Como avalia a tranquilidade do seu filho ao esperar pela vacina brincando com o cão? Você concorda com a presença do cão na espera em dias de vacina? Você concorda em manter o cão na sala de espera em dias de vacina? Você acha que a presença do cão diminui o estresse de seu filho ao aguardar a vacina?. Com as seguintes opções de respostas: excelente, bom, regular, ruim e péssimo.

Este foi entregue pelos ACS aos pais das crianças participantes, onde os mesmos responderam o questionário e devolveram aos ACS no mesmo momento. Foi utilizado o Software Microsoft Excel para compilação dos dados.

Resultados e Discussão

No total foram vacinadas 27 crianças de 0 À 6 anos no dia D de vacinação no município de Santa Terezinha do Progresso – SC, destes 77,8% dos pais responderam o questionário onde 100% dos entrevistados pontuaram de regular a excelente em todos itens avaliados, não obtendo nenhuma resposta ruim ou péssimo, como pode ser observado no GRÁFICO 1:

 

Gráfico 1: Resultado da Avaliação da Percepção dos pais em relação ao uso da AAA em Porcentagem.

Fonte: Autora, 2019.

Como pode ser observado 70,1% dos pais pontuaram a intervenção como Excelente, 22,4% como Bom e 7,5% como regular. No GRÁFICO 2 podem ser observadas as quantidades de respostas obtidas em cada pergunta:

Gráfico 2: Resultado do Questionário Item por Item Abordado

Fonte: Autora, 2019.

Com isto pôde observar o interesse em manter a intervenção em novos dias de vacinação, devido ao interesse e satisfação das crianças participantes.

Conclusão e Considerações Finais

Conclui-se que a AAA é uma técnica bem aceita por pais e crianças em dias de vacinação e conforme os pais, auxilia na redução de estresse das crianças. Sugere-se novos estudos com número amostral maior e grupo controle para melhor avaliar os resultados.

Referências

Dotti, J. (2014). Terapia & animais. Editora Livrus.

Guimarães, Keila. Vacinação em queda no Brasil preocupa autoridades por risco de surtos e epidemias de doenças fatais. BBC News. Disponível em: https://www.bbc.com/portugueses/brasil-41045273) Acesso em: 20/09/19

PEDROSA, S.; AGUADO, D.; CANFRÁN, S.; TORRES, J.; MIRÓ, J. La terapia asistida con perros en el tratamiento de las personas con dolor crónico: una revisión sistemática. Revista de la Sociedad Española del Dolor, v. 24, n. 1, pp.11-18, 2017.

SANTA TEREZINHA DO PROGRESSO. Apresentação do município. Disponível em www.santaterezinhadoprogresso.sc.gov.br Acesso em: 20/09/19