Conscientização Sexual – Escola Técnica Geração

8 votos

Gravidez na Adolescência

Em 2012 foi sugerido fazer programas de prevenção de risco e promoção da resiliência com adolescentes, levando em conta as especificidades de cada “grupo”, sua cultura, seus anseios, suas competências pessoais e seus projetos de vida. Com esse programa é de extrema importância que as adolescentes gestantes se sintam confortáveis e confiantes, de forma bem dinâmica e abordando os temas de gravidez; É permitido até falar sobre si, trocando experiências pessoais.
Esse grupo geralmente é conduzido por enfermeiras com o objetivo de falar sobre a saúde nessa fase.
Devido aos vários riscos presentes na gravidez na adolescência os pré-natais devem ser feitos com urgência o mais cedo possível para descartar qualquer problema. O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza esse atendimento gratuito. Em 2000 foi implantado pelo Ministério da Saúde o (PHPN) “Programa de Humanização do Pré-natal, e nascimento”, com objetivo de assegurar a melhoria do acesso, da cobertura e da qualidade do acompanhamento pré-natal, da assistência ao parto e puerpério as gestantes a ao recém-nascido.
As adolescentes gravidas se sentem muito vulneráveis, pois a geração de um filho é visto como um momento crítico, e acarreta várias mudanças físicas e psicológicas e muitas das vezes elas não estão preparadas para lidar com esse momento.
Então o principal ponto da humanização do parto de adolescentes está no fornecimento de informações durante a gravidez, porque quando há conhecimento os sentimentos positivos transformam essa vivencia em um momento único e significativo.

Abuso Sexual

A criança se comunica mais pelo choro e outros sinais não verbais que por palavras, quando algo está errado, no caso de violências, o silencio é ainda maior, porque, geralmente, o autor é próximo a família. Para enfrentar essa situação a secretaria do estado da família e desenvolvimento social lança a campanha “não engula o choro”, o dia nacional de enfretamento ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes em 18 de maio, o que faz com que esse seja o mês de enfrentamento a essas violações de direito.
Um dos objetivos da campanha é reduzir a subnotificação e incentivar a população a denunciar esses crimes, assim como estabelecer diálogo com a criança, mostrar para a criança que ela pode contar com uma pessoa de confiança para ajudá-la, em caso de violência ou em que algo está errado.
O desenvolvimento físico e intelectual está relacionado aos estímulos do ambiente experimentados na infância, a violência é violação de direitos, em qualquer idade.
E seja qual for o tipo deixara marcas profundas na formação da criança; as violências não escolhem classe social, independente da condição financeira, o sofrimento será o mesmo, assim como o mal causado ao desenvolvimento da criança e do adolescente conforme dados do MS, as 4 principais formas de violência contra criança e adolescente são negligencia ou abandono, violência física, psicológica ou moral e social.
Os sinais que indicam que a criança sofre alguma violência variam de acordo com a idade e tipo de agressão. Além do choro, outras reações são perceptíveis até o fim da adolescência. Em qualquer idade é preciso prestar atenção ao aparecimento, sem causa aparente, de irrealidade constante; olhar indiferente e apatia, distúrbio do sono, dificuldade de socialização e tendência ao isolamento, aumento na incidência de doenças de fundo alérgico e frequentes de abrições de pele. Também a manifestação precoce de sexualidade, desconfiança extrema, autoflagelação, baixa autoestima, insegurança, extrema agressividade ou passividade. São sinais perceptíveis por quem convive com a criança ou a vê com frequência.
Para denúncias ligar 181, os atendentes encaminham as denúncias de acordo com o caso e a urgência, para o conselho tutelar, polícia militar ou outro órgão da rede de proteção. O denunciante tem sua identidade preservada.

Doenças Sexualmente Transmissíveis

Estudantes médicos realizam ações de educação em saúde com adolescentes de um ESF. Tem sido um desafio para as Secretarias de Saúde dos municípios de Presidente Prudente e Alvares Machado, no interior de SP. Com isso a universidade do Oeste Paulista firmou uma parceria com essas secretarias, com vista a produção de ambientes saudáveis nas duas cidades. Estudantes do curso de medicina foram inseridos nas equipes interdisciplinares, para as duas localidades citadas e foram estimulados a produzirem planos de ação, por meio da metodologia ativa da problematização. Foram feitos assim, construção de rodas de conversas com adolescentes moradores das áreas de abrangência; Esse plano passou pela análise dos princípios para adequada atenção as DSTs.
Os quais são:
– Interromper a cadeia de transmissão, ou seja, tratando os infectados, e seus parceiros .
– Prevenir novas ocorrências
Após a realização da atividade, os estudantes realizaram uma reflexão com os cidadãos e consideraram a prevenção como estratégia básica para controle da transmissão de DST e do HIV.

Escolhemos estes temas, pois achamos importante a conscientização de todos sobre esses assuntos, para mostrar que realmente acontece e que não é algo engraçado ou motivo de deboche, podendo acontecer com qualquer um a qualquer momento. Nesses casos acho que deveriam ter mais recursos, pois cada criança e cada adolescente tinha que ter o direito de uma consulta com o psicólogo ou até mesmo ajuda e o ensino nas escolas, pois as vezes eles não tem esse acolhimento dentro de casa então procuram ter isso em algum lugar. Poderiam ser implantados em cada bairro, cada escola projetos sobre esses assuntos afim de ajudar e conscientizar a todos sobre assuntos que muitas das vezes não tem abrangência em suas casas. Pretendemos nos inspirar fazendo projetos, conscientizando os jovens e ajudando as crianças a ter um novo pensamento, pensar que lá na frente, tudo isso que eles estão passando hoje sirva de aprendizado no futuro para os filhos e netos.

 

Escola Técnica Geração – Enfermagem

Turma: E219A

Professor: Sergio Clemente

Alunas: Nicoli Staak, Geice, Diandra, Thyfani e Ana Carolina Maetins

Tema 1: http://redehumanizasus.net/gravidez-na-adolescencia-a-perspetiva-da-humanizacao/

Tema 2: http://redehumanizasus.net/campanha-nao-engula-o-choro-mppr/

Tema 3: http://redehumanizasus.net/estudantes-medicos-realizam-acoes-de-educacao-em-saude-com-adolescentes-de-uma-esf/