Coordenadores do PAPP/UNOESTE abordam Acolhimento na Atenção Domiciliar na ESF

18 votos

Coordenadores do Programa de Aproximação Progressiva à Prática (PAPP) da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) realizam Visitas Técnicas semanalmente, para as Equipes Interdisciplinares das sete Estratégias Saúde da Família (ESFs) nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado, no interior do Estado de SP.

Na última Visita Técnica, realizada na ESF São Pedro, em Presidente Prudente, os estudantes do PAPP conversaram com os Coordenadores sobre Acolhimento na Atenção Domiciliar. Coincidentemente, os Acadêmicos estavam retornando de uma Visita Domiciliar e participaram de uma Roda de Conversa com os Coordenadores. Os Professores consideraram que: acolher é dar acolhida, admitir, aceitar, dar ouvidos, dar crédito, agasalhar, receber, atender, admitir. Um dos Coordenadores explicou que a palavra “acolhimento” expressa uma ação de aproximação, um “estar com” e um “estar perto de”, ou seja, uma  atitude de inclusão, de estar em relação com algo ou alguém. A Facilitadora do grupo de estudantes considerou que o Acolhimento se constitui em uma tecnologia leve, utilizada nas equipes das ESFs, na sua relação com o usuário e que se propõe a inverter a lógica de organização e funcionamento do serviço de Saúde, partindo dos seguintes princípios: garantir acessibilidade universal, reorganizar o processo de trabalho com base em uma equipe multiprofissional e qualificar a relação trabalhador-usuário.

Os Coordenadores e a Facilitadora concordaram, em relação ao Acolhimento, que se trata de uma diretriz ética, estética e política da Política Nacional de Humanização do SUS. O aspecto Ético foi considerado, no compromisso do membro da equipe da ESF com o outro, na atitude de acolhê-lo em suas diferenças, suas dores, suas alegrias, seus modos de viver, sentir e estar na vida. Em relação à Estética, os Professores consideraram que o acolhimento traz estratégias de dignificação da vida e do viver para as relações e, assim, para a construção da própria humanidade das pessoas. É também Política porque implica o compromisso coletivo de se envolver nesse “estar com”, potencializando protagonismos e vida nos diferentes encontros que ocorrem nas casas dos usuários do SUS.

Docentes consideraram também, que no campo da Saúde, o termo acolhimento é identificado como uma dimensão espacial, uma recepção formal com ambiente confortável, mas também uma ação de organização administrativa e repasse de encaminhamentos para serviços especializados. Estudantes puderam entender que há três formas de definir o acolhimento: enquanto postura – a postura acolhedora da equipe;  enquanto processo de trabalho – diretriz reorganizadora do processo de trabalho; e enquanto ferramenta – instrumento para promover o vínculo, acessibilidade, universalidade e humanização em um espaço de recepção para o usuário do SUS.

No atendimento domiciliar, os professores consideraram que o acolhimento deve ser encarado como uma postura da equipe, tratando-se de um âmbito que percebe a dor e o sofrimento em todas as suas facetas, com o conhecimento do espaço de vida do usuário. As equipes devem entender essa postura como forma de promover a escuta das necessidades da pessoa e de seus familiares, o que torna o processo de trabalho/cuidado mais humano na medida em que centra seu foco nessas pessoas. Estudantes entenderam que o acolhimento-processo aponta para a reorganização do processo de trabalho da equipe como forma  de recepção dessas necessidades de saúde, considerando o binômio paciente-cuidador.

A dimensão do acolhimento como ferramenta do acesso, embora mais ligada ao processo de trabalho em  atenção primária encontra eco na Atenção Domiciliar: trata-se de receber as demandas de  cuidados domiciliares e tentar, a partir da escuta qualificada, oferecer a melhor resposta possível para cada caso  que se apresente ao serviço, criando compromisso com o acesso entre as ESF/Nasf, realizando, sempre que possível, as “pontes” necessárias na Rede de Atenção à Saúde.

Os Coordenadores divulgaram o “Caderno de Atenção Domiciliar” do Ministério da Saúde para os estudantes do PAPP. Os participantes consideraram como positiva a Visita Técnica da Coordenação do PAPP na ESF São Pedro, no Município de Presidente Prudente SP.

Referências:
Caderno de Atenção Domiciliar. Disponivel em: https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_domiciliar_melhor_casa.pdf&ved=2ahUKEwi8w431lOLhAhUAHbkGHY3SCfQQFjADegQIBRAB&usg=AOvVaw3t4YP5r5WKUlMRIi4ChYCg
Consulta em 21 04 2019. Às 19h 43min.