Disciplina Humanização da Saúde no Mestrado Profissional da UFAL

11votos

Iniciamos ontem a disciplina Humanização da Saúde, no Mestrado Profissional de Ensino na Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Alagoas.

A coordenação é dos profs. Sérgio S. Aragaki e Cristina Camelo Azevedo e conta com 14 estudantes regulares matriculados(as) e 03 especiais.

Ementa: Polissemia do conceito e das práticas de humanização na saúde. Formação em Humanização da Saúde. Humanização da formação em saúde. Política Nacional de Humanização do SUS.

Objetivos:

• Geral:
• Apresentar e discutir a respeito da humanização da saúde, propiciando o fomento de intervenções nos serviços de saúde, tendo como base a Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS.
• Específicos:
• Compartilhar e discutir a respeito dos conceitos de humanização da saúde e suas consequências para usuários(as), trabalhadores(as) e gestores(as) da saúde.
• Apresentar e refletir sobre os princípios, método, diretrizes e dispositivos da Política Nacional de Humanização do SUS.
• Refletir e disponibilizar ferramentas teórico-metodológicas para formação em humanização da saúde e para humanização da formação em saúde

Após a apresentação de cada participante, foi solicitado que escrevessem e depois compartilhassem com a turma a respeito de:

•Expectativas, necessidades e finalidades em relação à disciplina
•O que pensa em relação à humanização da saúde
•Conhecimento a respeito da PNH

Foi um momento muito importante, ao qual seguiu a explicação de que, dentre outras coisas, trabalharíamos as diretrizes da PNH. O combinado é que cada um/a escolheria uma diretriz e cada grupo seria responsável por preparar perguntas norteadoras, conduzir e sustentar as discussões nas datas combinadas. Porém todxs participantes deveriam ler o material básico e, dentro do possível, o complementar. Tudo ok. E na hora da escolha… várias pessoas escolheram uma mesma diretriz, ninguém escolheu outras… e a humanização da formação no ensino, a prática da humanização da saúde já foi se fazendo presente, pois abriu-se o espaço de diálogo, escuta, negociações e pactuações de como resolver esse “problema”. Foi apontado que coisas semelhantes ocorrem em outros espaços de formação, de gestão e de atenção no SUS e de como naturalizamos e reproduzimos práticas excludentes e/ou autoritárias para resolvê-las. E no processo, ao final, decidimos juntxs a “solução”. Apontamos também o trabalho que fizemos, a gestão participativa e cogestão se fazendo concreta entre nós e a valorização de nosso trabalho e de cada um/a na composição desse trabalho. Assim, metodologicamente, estamos buscando ensinar-aprender, formar sobre Humanização da Saúde e, concomitantemente, humanizando a Formação em Saúde.