Educação em Saúde para gestantes é realizada por estudantes médicos em uma ESF do interior de SP.

14 votos

A adequação das ações do Pré-Natal deve ser guiada pelos critérios de qualidade e efetividade estabelecidos pelo Programa
de Humanização do Pré-natal e Nascimento (PHPN). Um Pré-Natal de qualidade se reflete nos cuidados oferecidos para as gestantes na Atenção Básica. O acesso e a resolutividade na atenção pré-natal são aspectos importantes a serem perseguidos pelas Equipes das Estratégias Saúde da Família em nosso país.
Estudantes do Curso Médico da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) são inseridos em sete Estratégias Saúde da Família nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado desde o inicio da Graduação de Medicina. Facilitadores utilizam Metodologias Ativas de Ensino Aprendizagem como a Problematização para estimular a criação de Planos de Ação desenvolvidos a partir das Necessidades de Saúde da Comunidade adscrita ao território da ESF. Planos de Ação são desenvolvidos a partir das Necessidades de Saúde da comunidade, encontradas no território ligado às Unidades de Saúde nos Municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado. Um dos Planos de Ação desenvolvidos na ESF Bela Vista esteve ligado à Educação em Saúde para Gestantes.
Estudantes do Curso Médico, orientados pela Preceptora da ESF Bela Vista, em Presidente Prudente, colocaram em prática os Princípios do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento, que são os seguintes:
– toda gestante tem o direito ao acesso a atendimento digno e de qualidade no decorrer da gestação, parto e puerpério;
– toda gestante tem direito de conhecer e ter assegurado o acesso à maternidade em que será atendida no momento do parto;
– toda gestante tem direito à assistência ao parto e ao puerpério e que seja realizada de forma humanizada e segura, de acordo com os princípios gerais e condições estabelecidas pelo conhecimento médico;
– todo recém-nascido tem direito à assistência neonatal de forma humanizada e segura.
Após o contato com as gestantes e a realização de uma Roda de Conversa, partindo das dúvidas das usuárias do SUS, a precetora utilizou o Arco de Maguerez para provocar Reflexões sobre as práticas.
Os Acadêmicos consideraram que o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento foi instituído pelo Ministério da Saúde, por meio da Portaria/GM nº 569, de 01/06/2000, sendo baseado nas análises das necessidades de atenção específica à gestante, ao recém-nascido e à mulher no período pós-parto. A Preceptora considetou que o Programa busca
– concentrar esforços no sentido de reduzir as altas taxas de morbi-mortalidade materna e perinatal;
– adotar medidas que assegurem a melhoria do acesso, da cobertura e da qualidade do acompanhamento pré-natal, da assistência ao parto, puerpério e neonatal; e
– ampliar as ações já adotadas pelo Ministério da Saúde na área de atenção à gestante.
Acadêmicos do Curso Médico entenderam que a a promoção à saúde ocorre quando a comunidade pode se apropriar dos conhecimentos necessários para melhorar a sua qualidade de vida e saúde. Essa qualidade inclui uma maior participação das pessoas no controle de uma vida mais saudável. A Preceptora considerou que o conceito de promoção à saúde para as gestantes e para os usuários do SUS, em geral, envolve os determinantes relacionados aos aspectos do comportamento e do estilo de vida, associados às condições sociais e ambientais nas quais as pessoas da comunidade vivem e trabalham.
As participantes consideraram como positiva a ação de Criação de Ambientes Saudáveis para Gestantes realizada no território da ESF Bela Vista, em Presidente Prudente, SP.

Referências:

Acesso e qualidade da atenção pré-natal na
Estratégia Saúde da Família: infraestrutura,
cuidado e gestão.
Disponível em:
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.scielo.br/pdf/csp/v34n5/1678-4464-csp-34-05-e00110417.pdf&ved=2ahUKEwi_ptKFoN_iAhX5LLkGHeklAUcQFjACegQIBRAB&usg=AOvVaw0hdQOtR55jqn9BHRSDc3wO
Acesso em 10 06 2019 às 12h 45min.