Estudantes de Medicina e Odontologia realizam ação de Promoção à Saúde com escolares de PP

13 votos

A Universidade de Medicina da Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) insere os seus estudantes como membros das Equipes Interprofissionais em sete Estratégias Saúde da Família (ESFs), localizadas na região da Alta Sorocabana, no interior de SP, nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado. Os Facilitadores utilizam Metodologias Ativas como a Problematização para gerar Planos de Ação com a finalidade de criar ambientes saudáveis, no território de saúde adscrito às ESFs.

Um dos Planos de Ação esteve relacionado ao Programa Saúde na Escola (PSE), que tem como objetivo proporcionar melhorias na qualidade de vida da população de escolares que frequentam a Rede Municipal de Ensino, a partir de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, buscando colocar em prática o Princípio da Equidade do Sistema Único de Saude (SUS), com foco na Vulnerabilidade. Os Determinantes Sociais de Saúde (DDS) acabam por influenciar o desenvolvimento escolar na rede pública de ensino. As ações de Criação de Ambientes Saudáveis, que ocorrem na área de abrangência da ESF, são avaliadas pelos escolares e pela Coordenação da Unidade Educacional como positivas, pois englobam ações de Educação em Saúde para a comunidade, partindo das dúvidas dos participantes.

No dia 27/02/2019, na Escola de Educação Municipal Carmen Pereira Delfim, em Presidente Prudente, foi realizada uma ação de Educação Popular em Saúde no PSE, com atuação dos Acadêmicos do 3º termo do Curso de Medicina. Foram realizados testes de acuidade visual e medidas antropométricas nas crianças do 2º, 3º e 5º anos do Ensino Fundamental na Escola. Estudantes da Graduação do Curso de Odontologia da UNOESTE realizaram avaliação bucal e aplicação de flúor. A ação interprofissional foi organizada a partir de um esforço conjunto interdisciplinar, realizado pelas Coordenações dos dois Cursos de Nível Superior, conforme sugestão das Diretrizes Curriculares Nacionais do ano de 2014.

O teste de acuidade visual se mostrou muito relevante, pois alguns alunos relataram dificuldade de acompanhar a aula devido às limitações visuais. Estes escolares, com acuidade visual diminuída, foram encaminhados para consulta com a Especialidade denominada Oftalmologia e, se for necessário, receberão os óculos com lentes corretoras, gratuitamente, a fim de que essa deficiência não influencie no seu aprendizado.

As medições do peso e da altura, denominadas de índices antropométricos, também foram relevantes para o cálculo do Índice de Massa Corpóreo (IMC) e para a determinação do estado nutricional das crianças (baixo peso, adequado, sobrepeso, de acordo com os diferentes graus de obesidade detectados), que também podem influenciar no desempenho escolar.

Por fim, os Acadêmicos se reuniram para tabular os dados coletados e refletiram, com os membros da equipe da ESF e com os facilitadores a respeito dos resultados. Os Acadêmicos e Facilitadores consideraram a atividade muito relevante e benéfica, tanto para as crianças quanto para a comunidade local.

A ação foi desenvolvida sob supervisão da Facilitadora Elenice Morini Duarte e pelos alunos Myllena Geronimo Nascimento, Gabriella Pereira Rodrigues, Giovana Rogani Barrozo, Gabriel Viana Fritzen, Gabriela Melchior Corrêa, Giordano Malacrida Alves, Giovanna Souza da Cruz, Giovana Capputti Mazzini e Nayane Salvador Silva.

REFERÊNCIAS:

1. Ministério da Educação. Programa Saúde nas escolas [internet]. Brasil. [acesso em 2019 mar 02]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/observatorio-da-educacao/194-secretarias-112877938/secad-educacao-continuada-223369541/14578-programa-saude-nas-escolas

2. Ministério da Saúde. Biblioteca Virtual em Saúde. Obesidade [internet]. Brasil; 2009. [acesso em 2019 mar 02]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/215_