Estudantes do Curso Médico escrevem cartas a familiares de idosos institucionalizados em P. Prudente

10 votos

Estudantes do Curso Médico da UNOESTE são inseridos, desde o primeiro ano, como membros das Equipes Interprofissionais de sete Estratégias Saúde da Família (ESFs), nos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado. Os Facilitadores utilizam Metodologias Ativas como a Problematização, para estimular a criação de Planos de Ação a partir das Necessidades de Saúde percebidas nas áreas adscritas às ESFs daquelas localidades.

Um dos Planos de Ação esteve voltado à aplicação prática da Política Pública de Atenção Integral à Saúde do Idoso. Os estudantes do Curso Médico da UNOESTE se reuniram com estudantes dos Cursos de Informática, Odontologia e Nutrição para planejarem ações de Promoção à Saúde na Vila da Fraternidade, em Presidente Prudente. Os acadêmicos realizaram atividades de Atenção Individual, Coletiva e de Educação em Saúde para os idosos institucionalizados. Após colocarem em prática o Plano de Ação, os Aprendizes se reuniram com os Facilitadores para refletirem sobre as ações, com base na aplicação do Arco de Maguerez (Ação-Reflexão-NovaAção).

Os estudantes consideraram que o envelhecimento da população brasileira, por si só não basta. É necessário viver mais, agregando-se qualidade aos anos adicionais de vida. O Facilitador complementou que o alongamento do tempo de vida, aconteceu, a princípio nos países desenvolvidos. Em um momento posterior, nos países em desenvolvimento o envelhecimento da população teve sua vez, acontecendo de forma mais perceptível. Em nosso país o número de idosos (≥ 60 anos de idade) de 3 milhões em 1960, passou para 7 milhões em 1975, e 14 milhões em 2002 (um aumento de 500% em quarenta anos). Perspectivas apontam que deverá alcançar 32 milhões no ano de 2020. Os acadêmicos também disseram, na Roda de Conversa, que em países como a Bélgica, em cem anos a população idosa dobrou de número. Dessa maneira consideraram que essa dinâmica resultou em uma maior demanda por serviços de saúde.

O Facilitador considerou que este é um dos desafios atuais presentes em nosso país, a escassez ou a restrição de recursos para uma demanda que cresce a cada dia. Nossos idosos consomem mais serviços de saúde, suas internações hospitalares são mais frequentes, ocupando os leitos hospitalares por mais tempo, quando comparados a outras faixas etárias. O padrão das doenças apresentadas pelos idosos, corresponde à cronicidade e à multiplicidade. Dessa maneira pedem um acompanhamento maior, com dispensação de cuidados correspondentes, medicação contínua e exames periódicos.
Os participantes da ação, idosos, coordenadores da Vila da Fraternidade, Facilitadores e Acadêmicos, consideraram como positiva a ação de criação de ambientes saudáveis realizada no território da ESF.

Referências:
Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://scielosp.org/article/csc/2018.v23n6/1929-1936/pt/&ved=2ahUKEwj8j9qEl_XdAhVCDpAKHUfEA0cQFjAEegQIBBAB&usg=AOvVaw0U4oJwEDDuMjdMN8hj–qn Consulta em 07 10 2018 às 17h 53min.