Estudantes do Curso médico levam informações em Saúde para adolescentes vulneráveis em ESFs paulista

12 votos

A Faculdade de Medicina da UNOESTE utiliza metodologias ativas como a Problematização e insere estudantes em 7 ESFs como membros da Equipe Interprofissional em Presidente Prudente e Álvares Machado.
Os estudantes, orientados pelos Facilitadores, criam Planos de Ação para o território das ESFs a partir das necessidades de saúde das pessoas que residem na área de abrangência das Unidades de Saúde.
Acadêmicos do Curso Médico realizaram atividades de Educação em Saúde para adolescentes em condição de Vulnerabilidade residentes no território adscrito à ESF com foco na prevenção de DSTs e gestação indesejada.
Após a realização da ação, facilitadores resgataram os conceitos de vulnerabilidade, que são capazes de influenciar as práticas sociais e a produção de cidadania nos campos da saúde e assistência social. Discutiram a questão por meio da análise do termo vulnerabilidade que amplia a compreensão dos múltiplos fatores que
fragilizam os sujeitos no exercício de sua cidadania. As ações profissionais no
âmbito das políticas de saúde e assistência social e o imaginário social são forjados pela incorporação de conceitos que podem tanto reduzir quanto reforçar
vulnerabilidade.
Os participantes consideraram como produtiva a ação.

Referências:
O conceito de vulnerabilidade e seus sentidos
para as políticas públicas de
saúde e assistência social. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/csp/v34n3/1678-4464-csp-34-03-e00101417.pdf

Consulta em 05 09 2018, às 12h 37min.