Estudantes médicos participam da Reunião de Equipe em uma ESF de Presidente Prudente

13 votos

A Estratégia Saúde da Família trouxe inovações e mudanças na organização da atenção primária decorrentes da inserção dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos resultados conseguidos por meio da atuação de equipes multiprofissionais. Essas equipes conhecem e atuam nos determinantes sociais de saúde da população que habita no seu território adscrito. Estudantes do Curso Médico da Universidade do Oeste Paulista, UNOESTE, são inseridos desde o termo 1 nesse novo cenário que propicia a criação de vínculos de respeito e confiança entre os profissionais de saúde e a população da área de abrangência. Essa proximidade da equipe de Saúde com o usuário do SUS fortalece o compromisso do futuro profissional de saúde para acompanhar a população favorecendo noção de corresponsabilização.

Os Facilitadores utilizam a Metodologia Ativa da Problematização para criar Planos de Ação a serem desenvolvidos no território da ESF. As necessidades de Saúde da população são capturadas pelos acadêmicos por meio de sua participação nas Reuniões de Equipe que ocorrem com frequência semanal na Unidade de Saúde. Após a participação dos estudantes na reunião, os facilitadores utilizaram o Arco de Maguerez para estimularem reflexão na ação. Nos Ciclos Pedagógicos, estudantes consideraram que a equipe da ESF é entendida como multiprofissional, sendo composta por diferentes profissionais que atuam em um mesmo local de trabalho. Facilitadores consideraram que a equipe também é interprofissional, pois existe integração e interação entre o trabalho dos diferentes profissionais. Essa interação tem a finalidade de potencializar os resultados do trabalho em equipe. Estudantes consideraram que sua participação nas reuniões de equipe, nos serviços de saúde, especialmente, na atenção primária, pode contribuir para a qualidade da assistência ao usuário do SUS, por meio da compreensão dos Princípio da Integralidade, com atenção especial à continuidade dos cuidados com os pacientes, principalmente nas Visitas Domiciliares.

Facilitadores consideraram, no Ciclo Pedagógico, que existe uma diretriz do HumanizaSUS que valoriza a ampliação do diálogo entre os profissionais e a promoção de gestão participativa com a finalidade de qualificar a assistência em saúde. Estudantes consideraram que os conflitos pessoais podem atrapalhar o trabalho em equipe. Esses conflitos podem estar relacionados à falta de cooperação, ao individualismo, à ausência de comprometimento e falhas no quesito corresponsabilização. Existem possibilidades de manter relacionamentos interpessoais saudáveis no ambiente de trabalho com utilização de um diálogo aberto e transparente entre os profissionais de Saúde. Espaços para discussão de ideias podem ser criados por meio de reuniões de equipe. O gerenciamento de conflitos e a valorização do trabalho em equipe também são fundamentais pra colocar em prática a Política Nacional de Humanização na ESF.

Referência:
Os desafios de se trabalhar em equipe na estratégia saúde da família. Disponível em:
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.scielo.br/scielo.php%3Fscript%3Dsci_arttext%26pid%3DS1414-81452018000400205%26lng%3Den%26nrm%3Diso%26tlng%3Dpt&ved=2ahUKEwislYuB3tPiAhWgDrkGHZxrCwEQFjAAegQIBhAB&usg=AOvVaw0Jr11RDbLwiZ8LExqL1Yu4
Consulta em 05 06 2019 às 22h 50min.