Estudantes Médicos realizam ações de educação em saúde com adolescentes de uma ESF.

13 votos

 

A aplicação da Política Pública da Atenção Integral à Saúde dos adolescentes tem sido um desafio para as Secretarias de Saúde (SMS) dos municípios de Presidente Prudente e Álvares Machado, no interior de SP. A Universidade do Oeste Paulista firmou uma parceria com essas Secretarias, com vistas à produção de ambientes saudáveis naa duas cidades.
Os Acadêmicos do Curso Médico são inseridos nas Equipes Interdisciplinares de sete Estratégias Saúde da Família (ESFs) nas duas localidades citadas e são estimulados a produzirem Planos de Ação, por meio da Metodologia Ativa da Problematização, aplicada nos territórios adscritos às ESFs. Os Facilitadores estimularam a construção de Rodas de Conversa com adolescentes moradores nas áreas de abrangência das ESFs, com o tema Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), de acordo com a epidemiologia local, que indica aumento dos índices de transmissão de HIV e Sifilis para essa faixa etária. A construção do Plano passou pela análise dos princípios para adequada atenção às DSTs.
Esses princípios básicos para atenção às DST, como em qualquer
processo de controle de epidemias, são os seguintes:
• interromper a cadeia de transmissão: atuando
objetivamente nos “elos” que formam essa corrente,
ou seja, detectando precocemente os casos,
tratando os infectados, e seus parceiros, adequada e
oportunamente.
• prevenir novas ocorrências: por meio de
aconselhamento específico, durante o qual as
orientações sejam discutidas conjuntamente,
favorecendo a compreensão e o seguimento das
prescrições, contribuindo, assim, de forma mais efetiva,
para a adoção de práticas sexuais mais seguras.
Os Facilitadores, após a realização da atividade de Promoção à Saúde, realizaram uma reflexão com os Acadêmicos e consideraram a prevenção como estratégia básica para o controle da
transmissão das DST e do HIV. Essas ações de prevenção ocorrem por meio da
constante informação para a população geral , além das atividades
educativas que priorizem: a percepção de risco, as mudanças
no comportamento sexual e a promoção e adoção de
medidas preventivas com ênfase na utilização adequada do
preservativo.
Os participantes consideraram como positiva a Ação de Educação em Saúde realizada no território da ESF.

Referências: Manual de bolso. Controle das DST.
Disponível em:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/controle_doencas_sexualmente_transmissiveis.pdf
Consulta em 23 02 2019 às 13h 18min.