FIOCRUZ: Sítio sentinela transfronteiriço no combate à malária

5votos

Por conta do trabalho que vem sendo desenvolvido para a implantação do sítio sentinela Transfronteiriço, o Amapá – estado da região norte do Brasil que faz fronteira com a Guiana Francesa, vem recebendo pesquisadores da Fiocruz e da França para ajudar no combate à malária.

É sobre esse assunto a terceira matéria da série Clma e Saúde – “Sítio sentinela transfronteiriço no combate à malária”, produzida pelo Icict/FIOCRUZ, a partir dos dados preliminares colhidos e analisados pelo Sítio Sentinela Transfronteiriço (ainda em fase de implantação), uma parceria entre o Observatório Nacional de Clima e Saúde (LIS/Icict)/Fiocruz, e do Institut de Recherche pour Le Développement – IRD, da França.

Artigos em português, francês e inglês sobre a malária, notas técncias e notícias da grande mídia são alguns links disponíveis na matéria para consulta. Entrevistados nas matérias pesquisadores da Fiocruz, do IRD e do Amapá.

Lançado em 2008, o Observatório tem parcerias com o Datasus, IBGE, Ibama, Ministério do Meio Ambiente, secretarias estaduais e municipais de Saúde, e instituições de ensino federais e estaduais, além de integrar a Rede Brasileira de Pesquisas Sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede-Clima), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)/Ministério da Ciência e Tecnologia. Atualmente, o Observatório trabalha com informações dos seguintes sítios sentinelas de Porto Velho (Rondônia), Semiárido e Transfronteiriço (Guiana Francesa e Brasil), além do de Manaus (AM) e do Rio de Janeiro (RJ).

Para ler a terceira matéria da série, clique aqui

Boa leitura!