Hospital e Pronto Socorro (HPS) Dr. João Lúcio, do Estado do AMAZONAS, inicia sua participação no Projeto AcolheSUS/CGPNH/SAS/MS, para tornar-se referência em acolhimento para os usuários

6votos

Afirmando sua parceria e participação no Projeto AcolheSUS, da Coordenação Geral da Política Nacional de Humanização, da Secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), indicou o Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio como campo de atuação inicial do projeto, e ainda a indicação de técnicos da Susam para formação do Grupo Executivo Estadual (GEE) que tem as seguintes atribuições: gerir o processo e elaborar conjuntamente com a CGPNH/SAS/MS Plano de Trabalho para apoiar e assessorar os serviços e região de saúde na implantação/implementação do projeto; Articular com gestores do SUS local em cada fase do projeto; Apoiar a viabilidade e sustentabilidade do projeto; Monitorar e avaliar o processo de implantação/implementação das ações, de acordo com os indicadores pactuados nos planos de trabalho com a CGPNH/SAS/MS; e Monitorar e avaliar o processo de implantação/implementação das ações, de acordo com os indicadores pactuados no Plano de trabalho local.

O Projeto AcolheSUS propõem a Qualificação das Práticas de Cuidado a partir das portas de entrada do SUS com base na Política Nacional de Humanização. Engloba um conjunto de ações, que visa à qualificação do modelo de gestão e atenção dos serviços e garantia do acesso ao usuário com qualidade e resolutividade.

Em 30/11/2017, após vários movimentos de articulação, o GEE, através do Núcleo Estadual de Humanização, representado por sua coordenadora Ana  Karla Pimenta, deu início as suas atividades promovendo reunião com a direção e colaboradores do  HPS Dr. João Lúcio, durante a qual foram apresentadas ao grupo as diretrizes da PNH e as estratégias que ajudarão o hospital a atingir os objetivos do projeto. Foi formado o Grupo Executivo Local (GEL), cuja tarefa é gerir o processo de implantação/implementação projeto no serviço, em RAS, além de monitorar e avaliar, considerando os indicadores comuns e específicos pactuados.

“A gente quer que o João Lúcio seja referência para o Estado no atendimento acolhedor. Para quando a população lembrar-se do hospital, seja porque lá teve um atendimento decente e digno, como todo cidadão brasileiro merece ter”, diz  a coordenadora do Núcleo Estadual de Humanização da Susam, Ana Karla.

A gerente de enfermagem da unidade, Ellen Souza, diz que o trabalho vai ajudar na melhoria dos serviços. “Esse trabalho é de suma importância para que o cidadão se sinta acolhido dentro da unidade de saúde. Esse projeto vem para somar com a assistência da unidade”.

O que a CGPNH quer ver acontecer? Os Princípios do SUS garantidos no cotidiano das práticas de atenção e gestão, qualificando a saúde pública no Brasil. Tendo como resultados: Redução de filas e do tempo de espera, com ampliação do acesso; Atendimento acolhedor e resolutivo baseado em critérios de risco; Implantação de modelo de atenção com responsabilização e vínculo;  Garantia dos direitos dos usuários; Valorização do trabalho na saúde; e Gestão participativa nos serviços.

Histórico – O HPS Dr. João Lúcio foi inaugurado em 25 de setembro de 1998. Em 2017 a unidade completou 19 anos de funcionamento. O pronto-socorro funciona 24 horas, todos os dias da semana, e é referência estadual no atendimento de urgência e emergência na área de neurocirurgia.

A unidade possui 210 leitos, distribuídos entre as áreas de Clínica Cirúrgica, Clínica Médica, Ortopedia, Neurocirurgia, Cirurgia Geral, Vascular, Buco-Maxilo, Gastroenterologia, Urologia, Cirurgia Plástica e Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

O pronto-socorro conta com equipe multifuncional, formada por profissionais das áreas de enfermagem, serviço social, fisioterapia, nutrição, farmácia, médicos, laboratoristas, técnicos em radiologia, entre outros.

O HPS Dr. João Lúcio atende diariamente, em média, 600 pessoas. Nestes 19 anos de funcionamento, a unidade realizou um total de 2,8 milhões de atendimentos, 11 milhões de exames e 83 mil cirurgias.