HumanizaSus Caps Ad de Santa Izabel do Pará

6votos

Olá!
Quem é o usuário de drogas para você?
Essa é uma pergunta que venho fazendo há tempos em diversos espaços de cuidado.
Infelizmente a representação social que paira sobre o usuário de substâncias psicoativas o reduz quase sempre ao estatuto da marginalidade.
Vagabundo, maconheiro, bandido, lixo, são apenas alguns dos adjetivos atribuídos a essas pessoas.
Em tempos de intolerância sem precedentes, testemunhamos a instituição da pena de morte.
Negros, pobres e jovens são parte de um mórbido perfil de execuções que chegam em apenas sete meses a aproximadamente 1500 ocorrências, cuja repercussão hegemônica é a da gratidão pela limpeza social.
Na contra mão de um modelo excludente que condena o usuário de drogas ao desamparo e abandono, estamos construindo caminhos mais humanos e impactantes na atenção psicossocial.
O Caps Ad de Santa Izabel do Pará é o segundo na história da saúde mental do estado, mas o primeiro a assegurar o cuidado sem distinções acerca do consumo de drogas.
Entendemos que é justamente no momento do uso em que o usuário se encontra em situação de maior vulnerabilidade que o serviço deve estar de portas abertas para o cuidado diário.
Em tempos de fortalecimento das forças manicomiais, testemunhamos o surgimento de um modelo de atenção no campo de álcool e outras drogas, sustentado na contra fissura como um sintoma social e que condena o usuário ao confinamento.
Durante muito tempo foi reproduzido em larga escala o registro midiático de que “drogas matam”. Passados anos de terrorismo chegamos a conclusão de que a política de guerra as drogas é ineficaz e que o que verdadeiramente mata são a discriminação, preconceito, desamparo e o abandono.
Precisamos reconhecer o fenômeno das drogas como uma questão para a sociedade, pois o contexto da guerra as drogas na verdade revela uma guerra contra as pessoas que vem pagando com a vida pela forma equivocada de lidar com a situação.
Defendemos a liberdade e a ampliação de vidas mediante a luta por assegurar direitos fundamentais e inclusão na vida.
Um serviço com 12 anos de existência e que hoje é fortalecido pela Política Nacional de Humanização do SUS na veia!
Um lugar onde acontece uma outra forma de cuidar, com a inclusão de todos na roda da vida.
Não somente um serviço de saúde, mas uma aposta ética, estética e política. Não somente um Caps Ad, mas sim o coração da cidade para tantos dissidentes sociais.
Há dois meses da perda de uma de nossas usuárias mais importantes, estamos não somente fazendo uma homenagem a nossa querida Márcia do Socorro Silva dos Santos, mas sim levantando uma bandeira pelo respeito e pela vida.
Uma marca indelével do processo de humanização do cuidado em tempos de tamanha intolerância.
Salve Márcia!
Salve o Caps Ad de Santa Izabel do Pará!
Salve a liberdade!