NAQUELA NOITE DE LUZ

6votos

Não foi apenas mais uma confraternização
Não foi apenas mais um jantar
Não foi apenas mais uma celebração
Não foi apenas mais um “conversar”
Foi encontro de família e comunidade
Foi ato vivo do verbo partilhar
Foi abraço em síntese de amizade
Foi culminância do verbo amorizar

Que tal um outro Natal?
Pois bem, esta utopia aconteceu!
E foi tudo simples e natural
Naquela noite o Natal renasceu!
E como foi bom participar!
Ser presença e ser pertencimento
Na potência do verbo celebrar
E na vivência do verbo ressignificar!

Naquela noite, um grupo de rua
Se fez iluminado e iluminador
Luzes e brilhos das noites de lua
Brilhos e luzes do Natal do Amor!
Naquela noite, foi Natal revivido!
Naquela noite, foi a paz em vivência
Naquela noite, foram dons repartidos
Naquela noite, foi esperança em essência!

E assim, o mundo que somos nós
E o mundo no qual vivemos
Mundo em desequilíbrio veloz
Quem sabe renovaremos!?
Quem sabe, neste caminho de volta
Às origens do verdadeiro nascimento
A gente construa pergunta e resposta
Da comunidade do amor em movimento!?

* Síntese poética do encontro celebrativo de confraternização do Grupo de Rua, da Comunidade Granja Lisboa, em Fortaleza, Ceará. A síntese buscou traduzir a emoção e ideia do que foi a vivência do encontro.