O ACOLHIMENTO É A CHAVE PARA A HUMANIZAÇÃO

8 votos

Escola Técnica Geração
Curso: Técnico em enfermagem
Alunos: Camile, Ed Carlos, Eduarda e Micael.

1° Simulação de acidente de trânsito mobiliza o primeiro termo do Curso Médico na UNOESTE

          Foi escolhida pois é uma forma mais realista e estimulante do que as metodologias tradicionais de ensino e aprendizagem. Além de passar um ensinamento mais dinâmico e fazerem com que as pessoas observem e aprendam mais na prática. Com o intuito de diminuir o número de mortes no trânsito.

Sendo uma simulação completamente chocante e realística, mostrando a realidade comum no nosso dia a dia, além de ter como objetivo reduzir a taxa de mortalidade no Brasil, já que são 47 mil mortes no trânsito por ano e 400 mil com alguma sequela.

Como objetivo executar uma palestra para mostrar a população que podemos evitar acidentes de trânsito a partir de medidas simples e práticas que devem ser adotadas por motorista. Como: evitar o uso de celular, respeitar as leis de trânsito, ações preventivas (Checar pneus, freios, níveis de óleo e água), utilizando os faróis corretamente a noite, respeitar os limites de velocidade e não dirigir sob efeito de substâncias alcoólicas ou tóxicas

Disponível em: http://redehumanizasus.net/simulacao-de-acidente-de-transito-mobiliza-o-primeiro-termo-do-curso-medico-na-unoeste/.

2° Programa “Promover Vida” auxilia pessoas que correm risco de cometer suicídio e familiares

          É preocupante o psicológico de crianças e adolescentes e como ultimamente vem crescendo relatos sobre o suicídio. Seja por causa de bullying sofrido por colegas de classe, problemas em casa ou sobre a não aceitação de filhos LGBT, logo acaba ocorrendo a depressão e pensamentos negativos. Muitos familiares não percebem ou acham que é apenas uma fase, mesmo que apareça os sintomas da depressão. Depois do ocorrido, acaba afetando a saúde mental de colegas e familiares. Quando ocorre a tentativa de suicídio, é preciso ter o acolhimento com uma equipe multiprofissional todos preocupados em auxiliar e entender, sem preconceito ou julgamento.

O programa “Promover a vida” é totalmente gratuito e auxilia também as famílias dos atendidos. Sendo assim, ajudando as pessoas a se readaptar e buscando mudança para lutar pela sua vida e com os familiares presentes já que as pessoas mais próximas das vitimas tem papel fundamental para ajudar na prevenção do suicídio.

Logo, poderíamos fazer uma palestra em escolas, porém não só com professores, mas com os familiares presentes, para que os mesmos prestem atenção em determinadas atitudes e notar se algo está errado e dialogar sobre o problema. Informar o quão o bullying pode afetar o psicológico de uma criança e adolescente. Informando que todos são importantes independente de raça, cor, religião, orientação sexual.

Disponível em: http://redehumanizasus.net/83831-programa-promover-vida-auxilia-pessoas-que-correm-risco-de-cometer-suicidio-e-familiares/

3° O homem que vivia em abstinência de alegria

          Abordar assunto sobre drogas não é fácil, principalmente na sociedade em que vivemos e nesta geração corrompida de valores invertidos. Diante deste fato foi escolhido o texto de Laís Rosa, estudante do curso de Graduação em Medicina da Universidade Federal de Alagoas sobre a exclusão de viciados em droga da sociedade.

São inúmeros os motivos de uma pessoa optar pelo uso, tais como: desilusões, frustrações, decepções, falta de amor, culpa, falta de informação ou curiosidade. E uma vez usando, torna-se viciado e excluídos de uma sociedade pré-estabelecida.

É um assunto para ser tratado com prioridade, para as futuras gerações, impactando pelo fato de que por trás de um viciado em entorpecentes há uma vida e uma história que poderia ter sido diferente se encontrasse em seu caminho outras possibilidades de recomeços tendo em vista que o uso de drogas a pessoa caminha para o fim.

Pretendemos diante da nossa formação em técnico em enfermagem criar possibilidades para realizar trabalhos junto com outras pessoas, dialogando e entendendo o real motivo e suprindo suas necessidades físicas e emocionais, modificando o futuro desses indivíduos que fazem uso de drogas e sobrevivendo a margem da sociedade sem expectativa de uma vida melhor.

Disponível em: http://redehumanizasus.net/o-homem-que-vivia-em-abstinencia-de-alegria/

 

“Diante dos artigos, concluímos que é necessário o acolhimento com total empatia de forma humanizada criando mecanismos através do diálogo suprir as necessidades físicas e emocionais, proporcionando o bem-estar do próximo”.