Para promover a troca de saberes, ESF Wilson Paulo Noal promove oficina de chás com a comunidade

7votos

Quinzenalmente, integrantes do Grupo do Abraço, da Estratégia Saúde da Família (ESF) Wilson Paulo Noal, em Camobi, se reúnem para encontros, de caráter terapêutico, que abordam diferentes temas. Nesta terça-feira (07), uma oficina de chás foi preparada para o encontro, onde cada componente do grupo levou uma erva ou folha medicinal e apresentou os usos e indicações de cada uma.

As ervas foram dispostas em uma mesa, ao centro de uma roda de conversa. Individualmente, cada usuário apresentava as ervas levadas, destacando os nomes como elas são conhecidas, a forma correta de utilizá-las, além de distribuírem as folhas as demais pessoas que acompanhavam a explanação. Quem quisesse, também podia preparar e degustar os chás enquanto os mesmos eram apresentados.

O aposentado João Dias, 74 anos, é um dos participantes do grupo. Ele levou folhas de “quebra-pedra” e “picão” e explicou o uso de cada uma, destacando que utilizou as ervas como tratamento para combater uma pedra no rim. Apreciador de chás, Dias contou, durante a apresentação, que tudo que sabe sobre as ervas, ele aprendeu com o avô.

“Meu avô era índio puro, viveu até os 106 anos, e sempre buscava ervas no mato, junto com os netos. Ele sabia tudo sobre as indicações de cada uma, e foi repassando para nós. Sempre confiei no poder do chá e uso sempre que precisa”, contou o aposentado.

Conforme a médica da ESF Wilson Paulo Noal, Marianna Assmann Gonçalves, os temas trabalhados nos encontros do grupo são escolhidos pelos próprios usuários. Na última reunião, o tema havia sido gripe, onde surgiu a ideia de trabalhar a oficina de chás. Assim, cada integrante ficou responsável por pesquisar sobre os chás e levar amostras para o grupo. Marianna explica que o objetivo dos encontros do grupo é promover a troca de saberes e incentivar o autocuidado e a integração social.

“Queremos mostrar que não apenas os profissionais de Saúde são detentores de saberes e conhecimentos, mas que todos sabem e podem trazer contribuições. Esses encontros ajudam na integração entre a comunidade, no compartilhamento de conhecimentos e vivências”, destaca a médica.

 

Texto: Mariana Fontana (Mtb 17.770)
Foto: Deise Fachin
Superintendência de Comunicação
Prefeitura Municipal de Santa Maria