O projeto existe há quase três anos, teve inicio com uma percepção nossa acerca da aplicabilidade da música como método terapêutico. realizamos buscas na literatura nos quais encontramos varias publicações sobre os efeitos terapêuticos da música. iniciamos o projeto com a escolha do repertorio e ensaios. Só então realizamos a primeira visita em junho/2017.

        Fiquei muito empolgado com a ideia ao perceber que a música também esta inserida nas praticas integrativas complementares do ministério da saúde. O grupo e composto por em media 10 voluntários nos quais se dividem em instrumentos musicais; Acordeon, Flauta transversal, Saxofone, Baixolão, Violão, Cajon e Voz.

            Realizamos visitas mensalmente em hospitais da rede publica de  Fortaleza/Ce e região metropolitana, após autorização previa dos gestores. Iniciamos a visita pelo setor de internação percorrendo por toda área hospitalar, inclusive setores como UTI, finalizando pelo serviço de  emergência. Tais atividades ocorrem mensalmente de forma voluntaria.

        Observamos através de semblantes de pacientes e colaboradores, inicialmente espanto, seguido de alegria, julgo tal situação por acharem aquela pratica incomum dentro de um ambiente hospitalar. Visto que o processo saúde  doença e  muito desgastante e conflitoso, por sua vez desencadeiam ansiedade, medo, angustia, depressão. A musica vem  exatamente nesse momento para emponderar o paciente a vivenciar tal situação. Estudos mostram que ao ouvir musica, há uma liberação de endorfinas que promovem sensação de bem estar, mecanismo esse de extrema importância frente esse  processo. Percebo também a alegria dos integrantes do grupo NO TOM DA ALEGRIA por fazer  parte desse projeto. E isso alegria nos define…..