RODA DE CONVERSA SOBRE ACOLHIMENTO AOS FAMILIARES DURANTE A VISITA EM UMA UTI ADULTO DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

8votos

AUTORIA:

Eladja Oliveira Santos de Queiroz – Assistente Social e discente da disciplina de Humanização da Saúde do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da FAMED/UFAL. Trabalha na Unidade Básica de Saúde Dr. José Pimentel Amorim (SMS de Maceió)

Maria de Fátima Conrado Alves – Enfermeira e discente da disciplina de Humanização da Saúde do Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da FAMED/UFAL.  Trabalha na UTI adulto do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA-AL)

Coordenadores da Disciplina de Humanização da Saúde do MPES-FAMED/UFAL:         Profº Dr. Sérgio Seiji Aragaki e a Profª Drª Cristina Camelo de Azevedo

Trabalho realizado em cumprimento de atividades para disciplina de humanização na saúde do MPES-FAMED/UFAL.

No dia 04 de maio do corrente ano, foi realizado uma roda de conversa com os familiares dxs pacientes internadxs na Unidade de Terapia Intensiva Adulto do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA-AL), junto a este momento tivemos a presença de profissionais de enfermagem e psicóloga ( funcionários do hospital ) e estudantes de enfermagem que tem como estágio o cenário da UTI.

A oportunidade da roda permitiu discutirmos com os familiares e os demais presentes, sobre acolhimento e visita aberta, como diretriz e dispositivo da Política Nacional de Humanização (PNH). Momento de compartilhamento e, principalmente, de escuta.

 

Foi realizado uma explanação sobre o tema acolhimento e visita aberta, em seguida, feito três perguntas norteadoras para a discussão:

Como está sendo visto o acolhimento aos familiares no momento da visita?

Qual a satisfação dos familiares em relação a visita restritiva da UTI? 

Como está sendo a compreensão dos familiares em relação ao boletim médico?

Foi relatado uma satisfação em relação ao acolhimento pelos profissionais durante a visita.  Frente a visita restritiva, um familiar queixou-se que sempre que chega na hora determinada o seu parente está dormindo e que ela nunca tem a oportunidade de ver o pai acordado, outros, falaram o quanto é de profunda importância o momento da visita e que só nesta hora que eles conseguem acalmar o coração, na hora em que olha para o seu familiar e conseguem tocá-lo. Expressaram também, que uma visita mais flexível seria muito bem vinda.

Em relação ao boletim médico, foi escancarado as angústias pela falta de compreensão, quando a fala é usada em termos técnicos.

Com essa experiência de vivência, reforçamos aqui a importância de um acolhimento  iniciando na chegada ao hospital, durante a visita e pós-visita, enfim, em todos os momentos.

O acolhimento é um modo de operar os processos de trabalho em saúde, de forma a atender a todos que procuram os serviços de saúde, ouvindo seus pedidos e assumindo no serviço uma postura capaz de acolher, escutar e dar respostas mais adequadas aos usuários ( PNH, 2010).