Saber em Ação

10 votos

Perfil Profissional 1. Professor: Sérgio Clemente. Escola Técnica Geração!

Alunas: Morgana Tavares Fagundes, Sueli Paula Lopes e Márcia tavares Fagundes.

 

Trabalho Humanizar SUS

 

Estudantes médicos capacitam a comunidade com o tema (Primeiros Socorros)

 

A universidade do Oeste paulista, aposta na utilização de metodologias ativas de ensino e aprendizagem nos cursos da saúde. Em que os aprendizes são inseridos em sete estratégias da saúde da família, desde do início da graduação. Eles utilizam os eixos da atenção individual, coletiva, processo de trabalhos e educação da saúde.Com a finalidade de estimular a criação de ações de promoção a saúde para a comunidade. A educação em saúde é um instrumento para se promover qualidade de vida para a comunidade, pois se tem a experiência dos profissionais e da comunidade, assim com instrumentos para leigos se capacitar. A falta de conhecimento da população relacionada ao pronto atendimento em urgência pode trazer alguns problemas, como a mobilização incorreta da vítima. Sendo assim os acadêmicos de Presidente Prudente, com a supervisão do PAPP, organizaram uma rota de conversa com a população adstrita ao território da ESF. Para a capacitação em primeiros socorros, entenderam a necessidade do atendimento de vítimas que precisam de cuidados imediatos e que seja uma assistência rápida e qualificada. Sendo que essas ações quando bem efetuadas contribuem para a sobrevivência da vítima. Os participantes consideraram positiva a ação de criação de ambientes saudáveis executadas no território do ESF.

Esse tema foi escolhido porque deveria ter bem mais importância pois se muito mais pessoas tivessem conhecimento de primeiros socorros muito mais vidas seriam salvas.

Acho que essas ações deveriam ser copiadas pois as vezes o fato de saber que não se deve movimentar a vítima já é uma forma de ajudar e não é o que de fato ocorre muitas vezes, essa ação deveria servir de exemplo para todo território mundial.

Pretendemos com certeza aprender o máximo dos procedimentos de primeiros socorros e repassar meus conhecimentos para meus familiares, colegas, conhecidos e quem tiver interesse em aprender

 

Os Serviços Organizados de Inclusão Social (SOIS) integram a Rede de Atenção Psicossocial, vinculada à Secretaria da Saúde de Joinville.

 

Criou um espaço com projetos e, pois, em pratica com ação e inclusão social de pessoas que enfrentam o sofrimento psíquico e/ ou possuem necessidades decorrentes do uso abusivo do álcool e outras drogas. Ajudando as pessoas com as diversidades do dia a dia com a intenção de ajuda com o sofrimento, vicio, trauma, conflitos, recaídas… visando o dependente como ser único e capaz de recuperar sua autoestima, humor, confiança, socialização, medo, vergonha. Entre outros benefícios como melhora a atenção, memoria, coordenação motora, humor, respiração, flexibilidade, contemplando tanto o estudo do corpo quanto da arte,

O projeto tem a 5 anos com seu espaço próprio que cada dia mais vem ganhando vida e trazendo pessoas que buscam recursos para se livrar da dependência, desde então a procura pela organização não para.

O projeto conta com   aulas de dança, música, teatro, canto e conta também com oficinas de geração de rendas que inclui pintura em tela, tapeçaria, e artes com papeis reciclados. O espaço tem seus grupos, dias e horários. Que conta com profissionais como p psicóloga, assistente social, terapeuta ocupacional, pedagogo, técnicos de enfermagem técnico admirativo, técnico educacional e artesão.

A ideia principal da terapia em grupo é fazer com que os dependentes aprendem mais sobre si mesmos e também compreender que há outras pessoas que passam pela mesma situação e que não estão sozinhos.

Escolhi esse tema porque achei muito interessante a forma como é elaborado o projeto visando o dependente como um ser capaz e único, a partir esse projeto que visa cuidar ajudar e incentivar essas pessoas a deixar e esquecer seu passado através da instituição, buscando recurso como uma forma de tratamento de busca ajuda ao caminho da cura.

Toda e qualquer assistência as pessoas que precisam de ajuda serão sempre bem vistas pois muda e transforma a vida das pessoas.  Se desejamos um mundo melhor, precisamos fazer a nossa parte, quanto mais exemplos positivos de ajuda ao próximo, mais pessoas beneficiadas, gerando assim uma energia de gratidão que moverá o mundo atraindo mais motivos para sentirmos gratos! Sem contar o resultado que é compensador.

A partir dessa experiência, pretendo usar como uma forma diferente de ver as pessoas e ver que todos nós precisamos de algum tipo de ajuda não ignorando esses fatos, e aplicar no meu dia a dia sei que trará bons resultados.

 

 

 

O SUS QUE NÃO VEMOS

 

É extremamente manter a população usuária informada sobre os serviços ofertados pelo SUS. A ação favorece o acesso e fortalece o controle social.

Mas é preciso valorizar o “monte de benefícios” que o SUS traz para toda a população brasileira, inclusive, de Resende Costa.

O SUS – Sistema Único de Saúde – já existe há vinte e poucos anos e boa parte do povo não o conhece. Nosso sistema público de saúde tem uma proposta avançada, em termos de mundo – democratizar o acesso à saúde, em todos os seus aspectos. E isso tem avançado, com dificuldades e conquistas.  O maior problema é a “verba”: nossos governantes (nação/estados/municípios) ainda gastam pouco com a saúde do brasileiro.
Nossa Constituição Federal diz: “A saúde é um direito de todos e dever do estado”. Mas a coisa não é simples assim. Voltemos ao tema principal. O SUS nos atinge todos os dias – a qualidade dos alimentos, dos medicamentos, as vacinas que todos tomamos, as consultas, as internações, todos os tipos de exames, as ambulâncias, os plantões e muito mais. Isso, em todo o Brasil!

 

Nosso  programa de saúde da família, que atende 37% da população urbana, nosso Centro de Saúde, com suas consultas, medicamentos, vacinas, curativos, exames, saúde mental, entre outras coisas; nossos Postos de Saúde na zona rural, nossa Vigilância em Saúde  (epidemiológica, ambiental, sanitária etc.); nossos transportes de pacientes; nossos hospitais, para nós e região; mamo plástica, transplantes, redução de estômago, laqueadura, vasectomia, entre outros procedimentos, que é oferecido e muitos desconhecem. Nossos muitos funcionários do SUS que trabalham com salários ainda não muito adequados; as muitas cirurgias realizadas aqui e em outros municípios… é difícil enumerar tudo que o SUS nos proporciona.

Vale ressaltar também a grande importância que muitas pessoas não dão em avisar que não vão em consultam e tiram a vaga de outros, esse é um dos motivos de não funcionamento adequado.

É por tudo isso que devemos defender o  SUS, de “unhas e dentes”. Temos certeza de que, com a participação de todos, muita coisa vai seguir melhorando. É preciso aprender a enxergar o SUS QUE NÃO VEMOS ou que NÃO QUEREMOS VER…

 

Escolhemos esse tema exatamente por abordar a questão do que não se ver, ou não se quer ver. Pesquisar buscar saber é o mínimo que devemos saber quando se trata de nossa saúde e de nossos familiares, pessoas que amamos. Pensando nisso, buscamos saber um pouco das muitas partes do SUS que não sabemos, tanto boas como ruins.

O impacto positivo é a questão das inúmeras coisas que são oferecidas, tratamentos desde de doenças raras, cirurgias complexas, medicamentos caríssimos, até casos mais simples. Não que seja perfeito, mais com certeza é um sistema muito bem elaborado

Imitar ou colocar em pratica de maneira mais simples e objetiva possível. Lutando por diretos a mais saúde, melhorias, e pelos profissionais que batalham dia a dia como por exemplo um sindicado de enfermeiros. Também esclarecer informações que parecem tão simples e que não são passadas, como os procedimentos corretos para solicitar remédios mais caros, cirurgias, como acontecem as filas de espera, extrema importância de desmarcar consultas, entre outros. Juntos somos mais fortes, para fazer a diferença.

 

CONCLUSÃO GERAL

Queremos que desejo de ajudar o próximo seja maior, não importa qual seja a necessidade, servir e auxiliar fisicamente e espiritualmente aos que assim precisam, pois, conhecer um pouco sobre a vivência do outro faz com possamos refletir um pouco mais sobre a nossa própria vivência, nossas atitudes e hábitos, tanto no caráter físico, lúdico, crítico quanto na aceitação e compreensão do sentido formador da arte e do ser.

http://redehumanizasus.net/estudantes-medicos-capacitam-a-comunidade-com-o-tema-primeiros-socorros-no-interior-de-sp/http://redehumanizasus.net/o-sus-que-nao-vemos/http://redehumanizasus.net/danca-joinville-e-saude-mental/