Suicídio e a atuação do CAPS.

6 votos

Alunas: Geórgia de Jesus, Madelane Araújo e Maria Eduarda.
Professor: Sérgio Clemente.
Escola Técnica Geração.
Turma: Técnico em enfermagem E319A1.

Tema 1: “O papel do SUS na prevenção do suicídio.”

http://redehumanizasus.net/o-papel-do-sus-na-prevencao-do-suicidio/

A nossa pesquisa sobre suicídio é um tema de grande interesse para nós pois esse fenômeno
tem atingido números alarmantes e já é considerado um problema de saúde pública.
De acordo com os dados da organização mundial da saúde: o Brasil encontra-se em 8º lugar no
ranking de países com os maiores índices de suicídio no mundo.
Uma vez em que o assunto não é muito abordado pode ser tratado como tabu. O suicídio
tornou-se a 3ª causa de mortes na população considerada de maior risco, que abrange o grupo de
jovens e adultos entre 16 e 45 anos de idade.
E mesmo que a saúde coletiva não seja um campo totalmente novo e que seus saberes já
circulem no âmbito acadêmico, não há como ignorar o fato de que, no senso comum, essa
concepção de cuidado ainda é muito nova, e a ideia de que o suicida precisa ser internado e
medicado ainda é muito forte. Eles que sofrem precisam de lazer, afeto, cuidado, atenção e
acolhimento.
O suicídio continua sendo silenciado com a justificativa de evitar contágio. Essa preocupação é
tão grande que estamos nos esquecendo que pessoas precisam falar sobre como elas se sentem e
a melhor forma de prevenir o suicídio é falar sobre o assunto.

Tema 2: “CAPS: Um modelo humanizado de cuidar da saúde mental.

http://redehumanizasus.net/caps-um-modelo-humanizado-de-cuidar-da-saude-mental/

Os Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) são espaços que buscam o tratamento de pessoas
com transtornos mentais graves, diferente dos manicômios cercados de altos muros, os CAPS são
ambientes mais leves, coloridos com peças produzidas nas oficinas de arte, os funcionários não
utilizam uniformes ou jalecos e a conversa e troca de saberes fazem parte do dia-a-dia.
O CAPS é oferecido gratuitamente pelo SUS, o usuário busca espontaneamente ou recebe
indicação do clínico geral e após análise individual passa a frequentar o local.
No CAPS atuam psicólogos, psiquiatras, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, farmacêuticos,
pedagogos e assistentes sociais.
Temos várias vertentes do CAPS, como:
→O CAPS infanto-juvenil que oferece cuidados exclusivamente para jovens entre 10 e 17 anos
com atendimentos semanais e atividades de reinserção social.
→CAPS álcool e drogas que atua no combate ao vício buscando a reconstrução do projeto de
vida do usuário que muitas vezes é destruído pela dependência.
→O CAPS ||| que é aberto 24h e recebe pessoas entre 18 e 72 anos que apresentam
esquizofrenia, depressão e bipolaridade, os usuários frequentam a casa de acordo com sua
necessidade.
Ana Lúcia Alves, terapeuta do CAPS diz que “A família tem um papel crucial na melhora do
usuário, pois o motiva a continuar na luta” e “O CAPS resgata as pessoas, ele é a segunda chance”

Levando em consideração os fatos mencionados, concluímos que o suicídio é um tema que
precisa ser abordado com mais frequência para que seja evitado, através da conversa e da
informação podemos salvar vidas, e encontramos no CAPS um grande apoio às vítimas de
transtornos mentais causadores do suicídio.
  O amor que você merece está dentro de você, você só precisa de ajuda para enxergá-lo.