Tempos de (des)informação…

7 votos

Silvana Cavalcanti dos Santos ;Aline Barros de Oliveira; Dária Catarina Silva Santos; Valquiria Farias Bezerra Barbosa.

Nos tempos atuais o acesso rápido a informação causa bem ou mal à saúde mental da sociedade? Hoje, estamos hiperconectados de modo que tudo que acontece   no Mundo, em cerca de segundos  se torna viral na rede. Nesse contexto,  podemos refletir sobre a importância das Redes Sociais na disseminação de informações e de desinformações. Informações essas verdadeiras ou fake News?

Apesar da sociedade ter enfrentado outras pandemias (H1N1), ao longo da história da humanidade, esta é a primeira que acontece em um mundo hiperconectado e vem acontecendo uma proliferação rápida de desinformação, fake News

Considerando que uma parcela da sociedade não possui o discernimentos para avaliar a veracidade das informações, o   excesso de informações falsas amedrontam a população causando os sentimentos de medo e pânico muitas vezes. Colocando, assim, vidas em perigo por instigar comportamentos inadequados e inverídicos.

Pesquisadores apontam que, a sociedade, além da situação Mundial com o Covid-19, vive uma pandemia de pânico, no qual o isolamento social tem corroborado para com essa síndrome. Lendo uma reportagem do psiquiatra Marcel Vella Nunes, do Hospital Santa Mônica, em São Paulo, a autora  afirma que  “O problema da globalização é que nesse momento temos as notícias em tempo real, sendo atualizadas a cada momento. Isto contribui para disseminação de uma pandemia de pânico”.

É preciso o bom senso para não sair compartilhando para os seus contatos todas as mensagens recebidas sem confirmar da veracidade da informação, contribuindo assim para a não propagação de informações falsas.

Precisamos despertar nos indivíduos a consciência social e humanizada,  exercitando se coloca no lugar do outro, contribuindo assim para uma sociedade melhor.

 

Sugestões:

Algumas agências/portais  fazem a checagem de conteúdo de posts: Aos Fatos, Boatos.Org, Conjur, Jota, Migalhas e UOL-Confere

e-mail fakenewsnao@cnj.jus.br