Erasmo Ruiz

Membro desde: 19/02/2008   |   3416 VOTOS

Interesses:

Humanização, Psicologia Social, Tanatologia, Psicologia Aplicada à Saúde. Atualmente estudo de que forma grupos de trabalhadores que lidam diretamente com a morte e o morrer constróem suas identidades em função do lugar da morte no trabalho. Gosto de literatura, arte e música clássica, principalmente a barroca. Sou Professor da Universidade Estadual do Ceará, militante sindical e um estudioso e admirador da obra de Antònio Gramsci. Além das graduações de Enfermagem, Serviço Social e Medicina, dou aulas nos programas de Pós Graduação em Educação (UFC), no Mestrado Acadêmico de Saúde Pública e no Mestrado Acadêmico de Políticas Públicas, ambos da UECE.

Formação:

Psicólogo pela USP-Ribeirão Preto

Mestre em Educação: UNiversidade Federal de São Carlos

Doutor em Educação: Universidade Federal do Ceará

Morreu Rubem Alves. Viva Rubem Alves!

Morreu Rubem Alves. O que tenho agora é a costumeira sensação que a morte nos deixa: vazio. Todo ser humano é insubstituível. Quando alguém nos deixa leva junto seu agir sobre o mundo e, por consequência, seu agir sobre nós. Mas parece que alguns são mais insubstituíveis que outros. Rubem Alves tem esse perfil. Pensar […]

O Bêbado, A Equilibirista e os 50 anos de Golpe Militar

Dia 31 de março completa-se 50 anos do Golpe de 1964 que levou os militares ao poder no Brasil. A repercussão da data e as muitas manifestações mostram que as feridas ainda não se fecharam.  Existe muito a ser feito para que famílias ainda possam sepultar mortos até hoje desaparecidos. Parte do entulho autoritário da […]

TESTE MONET

Para Peju  

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Que o sonho de Rosa Luxemburgo possa um dia se realizar com o apoio decisivo de uma revolução do rosa e do lilás. Que o velho adágio que afirma que “atrás de um grande homem sempre existe uma grande mulher” possa ser transformado naquilo que ele deve ser: “homens e mulheres, lado a lado, podem […]

Aberto Hospice Para Crianças em São Paulo

Não é fácil produzir a aceitação da morte. Especialmente difícil é aceitar a morte de crianças. Num passado não muito distante era diferente. Os precários recursos de saúde determinavam altas taxas de mortalidade infantil associadas a altas taxas de natalidade. Era comum nos anos 60 que médicos perguntassem a suas pacientes quantos filhos ela tinha […]

Estamos com mais de 12.000 fãs no facebook

Passando para avisar que passamos dos 12.000 fãs no facebook. Caso você tenha perfil nessa rede social mas ainda não se tornou fã da RHS por lá, acesse nossa fan page AQUI É só clicar no botão "curtir" e pronto. Você terá um outro canal para saber mais da Rede HumanizaSUS e fomentar redes para ampliar […]

Sherazade e suas visões da adolescência: Um Flerte com a Barbárie

Não se trata da famosa personagem de "As Mil e Uma Noites" e sim de sua homônima, jornalista do SBT. Ela tem chamado a atenção por opiniões tidas como, no mínimo, polêmicas. Nada contra pessoas que exercitam seu direito de opinião. Obviamente que isso não retira meu direito de livremente opinar sobre a opinião alheia. […]

As Flores do Lixo

Peço a paciência do leitor para compartilhar dois momentos vividos essa semana ou, como dizemos aqui no Ceará, dois rabos de conversa. Estava chegando em casa quando encontrei Josué (o nome é fictício), um garoto com 12 anos de idade que não via a uns dois anos. Estava mais alto e o corpo havia ganho […]

Vamos fazer um Rolezinho?

As multidões sempre são bem vindas aos shoppings…desde que controladas pelas datas regidas pelo consumo. A chegada do Papai Noel acontece com mais de 50.000 pessoas expostas a insegurança pública. Acabam se vendo  como gnus acossados por leões como nos documentários sobre vida selvagem, mas tudo bem, estão ali para receberem o bom velhinho descendo […]

De que Lado Está a Barbárie?

Michel Foucault inicia seu “Vigiar e Punir” com um o relato aterrador da execução de Damiens, condenado pelo crime de Parricídio. Não vou expor o leitor às minúcias do que aconteceu a Damiens.  Basta dizer que num passado não tão distante (1757) a execução pública com requintes da mais extremada barbárie era motivo de espetáculo […]