Erasmo Ruiz

Membro desde: 19/02/2008   |   3416 VOTOS

Interesses:

Humanização, Psicologia Social, Tanatologia, Psicologia Aplicada à Saúde. Atualmente estudo de que forma grupos de trabalhadores que lidam diretamente com a morte e o morrer constróem suas identidades em função do lugar da morte no trabalho. Gosto de literatura, arte e música clássica, principalmente a barroca. Sou Professor da Universidade Estadual do Ceará, militante sindical e um estudioso e admirador da obra de Antònio Gramsci. Além das graduações de Enfermagem, Serviço Social e Medicina, dou aulas nos programas de Pós Graduação em Educação (UFC), no Mestrado Acadêmico de Saúde Pública e no Mestrado Acadêmico de Políticas Públicas, ambos da UECE.

Formação:

Psicólogo pela USP-Ribeirão Preto

Mestre em Educação: UNiversidade Federal de São Carlos

Doutor em Educação: Universidade Federal do Ceará

A Cura

– Bom dia doutor – Bom dia! Fale-me sobre o que o trouxe aqui. – Bom doutor, nem sei como começar. O médico experiente, acostumado com tantas e tantas histórias estranhas que entravam no seu consultório esboça um sorriso e tenta deixar o cliente relaxado. – Fique tranquilo. Que tal então começar do começo? Estou […]

As Prostitutas não Podem ser Felizes

Comecemos por uma definição conceitual. Prostituição consiste na troca de favores sexuais por dinheiro. Essa prática atravessa a história da humanidade a ponto de existir a velha máxima de que a prostituição “é a mais antiga profissão do mundo”. A reação social frente a prática da prostituição varia enormemente de uma cultura para outra havendo […]

Cuidado Paliativo Não é Paliativo

  O título dessa postagem pode parecer contraditório…mas não é. Cuidado paliativo não é paliativo! Para resolver esse mistério teríamos que ir à origem das palavras. Hoje em dia quando queremos dizer que uma coisa é resolvida de maneira precária dizemos que solução foi “paliativa” ou seja, que de fato não se resolveu o problema.  […]

Não Existem Pacientes Terminais

As palavras portam sentidos que mal nos damos conta. Outras vezes, possuem marcas de um tempo que já se foi. Ainda existem pessoas que “discam” um número ao usar o telefone quando na verdade os telefones possuem apenas teclas a algum tempo. Mas esse texto não irá seguir nenhum caminho obscuro da etimologia para surpreender […]

Não há mais nada a ser feito!

Existem inúmeras frases infelizes que podemos dizer às pessoas. Por toda a vida nós vamos ouvi-las e algumas vezes seremos nós a dize-las:  – "O banco já está fechado" – Infelizmente não temos seu número" – "Como você engordou" – "Acabou a energia elétrica" – "Você entrou no banheiro errado" Quem já passou por estas […]

Uma deliciosa Comédia de “O Gordo e o Magro” Para Refletir Sobre o Trabalho

    Talvez os mais jovens não os conheçam. Stan Laurell e Oliver Hardy formavam uma dupla impagável, "O Gordo e o Magro". Começaram no cinema mudo e sobreviveram pelos anos 30 e inícios dos 40. Durante a grande depressão americana ajudaram a relaxar plateias extenuadas pela falta de perspectivas. Quando se perde a esperança, […]

Acalentar!

Ela estava feliz! O bebê nascera forte com quase quatro quilos. É verdade que a gravidez havia sido uma surpresa. Mas havia afeto de sobra, aquela segurança que permite um casal se imaginar envelhecendo. Eram pobres. Algum sacrifício havia sido feito para que essa criança já viesse ao mundo desfrutando do conforto de um berço […]

“O Sétimo Selo” de Ingmar Bergman: Jogando Xadrez com a Morte

  Tive a grata satisfação de participar recentemente do “Cineterapia”, um projeto implementado pelo Centro Acadêmico do Curso de Psicologia da Universidade Estadual do Ceará (UECE).  O objetivo é suscitar discussões de caráter psicológico a partir da linguagem do cinema. Nossa tarefa foi comentar o filme “O Sétimo Selo” (1956) do diretor sueco Ingmar Bergman […]

A Face dos Mortos: Bombas e Bombas

Antes de mais nada, um aviso! Não se  apropriem deste texto para fazer apologia da barbárie. É inaceitável que alguém coloque uma bomba no passeio público para matar e mutilar pessoas indefesas. Mas existe a outra face da moeda. É também inaceitável que um Estado se utilize de sua máquina de guerra para matar indiscriminadamente […]

A Vela na UTI

Uma mulher idosa, parecida com tantas outras, estava morrendo na U.T.I., longe de tudo e de todos. Vivera tanto tempo que já perdera as contas.  As lembranças dessa longa vida eram como fotos embaralhadas de um álbum antigo, de uma maneira em que lentamente ia se perdendo a datação das imagens. Lembrava-se que havia pedido […]