Erasmo Ruiz

Membro desde: 19/02/2008   |   3416 VOTOS

Interesses:

Humanização, Psicologia Social, Tanatologia, Psicologia Aplicada à Saúde. Atualmente estudo de que forma grupos de trabalhadores que lidam diretamente com a morte e o morrer constróem suas identidades em função do lugar da morte no trabalho. Gosto de literatura, arte e música clássica, principalmente a barroca. Sou Professor da Universidade Estadual do Ceará, militante sindical e um estudioso e admirador da obra de Antònio Gramsci. Além das graduações de Enfermagem, Serviço Social e Medicina, dou aulas nos programas de Pós Graduação em Educação (UFC), no Mestrado Acadêmico de Saúde Pública e no Mestrado Acadêmico de Políticas Públicas, ambos da UECE.

Formação:

Psicólogo pela USP-Ribeirão Preto

Mestre em Educação: UNiversidade Federal de São Carlos

Doutor em Educação: Universidade Federal do Ceará

Alguns Motivos Para Não Ver “A Árvore da Vida”

Cinema é arte e a arte não é feita necessariamente para agradar as pessoas, pelo contrário. Ela muitas vezes desaponta porque arranha nossas flores narcísicas, nos joga no rosto o quanto nossas certezas inabaláveis desmancham-se no ar, subverte, nega, (re)afirma. Caso você queira ver um filme certinho, com sentido linear e cartesiano de tempo, então […]

Estamira e Winehouse: As Sutilezas do Aterro

  Quando passamos por aterros sanitários desviamos o olhar, tampamos o nariz. Queremos bloquear os sentidos para não apreendermos os odores fétidos da civilização. Não encontramos parâmetros estéticos para ver beleza no lixo ou poesia no vôo dos urubus.   Em meio ao acúmulo de um lixo incomensurável, brotou Estamira. Uma mulher tida como louca ou, […]

TRADIÇÃO

  TRADIÇÃO! Os Gays agora podem se casar Que atrevimento teremos que aturar nas ruas Homens andando de mãos dadas Mulheres Abraçadas…insuportável! Essa história da história mudar Ofende a qualquer um Que tenha a  integridade  De seus valores familiares Antigamente, tudo tinha o seu lugar os negros tinham o seu lugar Mesmo depois do erro […]

O Valor da Vida Humana e os Bombeiros do Rio de Janeiro

  Começo esse post com uma pergunta singela: quanto vale a vida humana? Uma resposta com base na ética nos remeteria a Nelsom Rodrigues quando nos avisava que uma pessoa é mais importante que a Via Lactea. Ou então a velha assertiva de que essa questão não pode ser reduzida a uma especulação esconômica: "a […]

Drogas Ilícitas para uma Boa Morte

     Este post não fará coro aos inúmeros que já existem pela internet num discurso conservador e ultrapassado de ser "contra as drogas" ou de identificar nelas "o inferno na Terra". As posições dicotômicas que são observadas no debate "Contra x a Favor" da descriminalização  ocultam os muitos caminhos existentes nas interfaces. Como alguém […]

Morte e Pintura: Alguns Quadros de Edvard Munch

  Edvard Munch (Auto Retrato Com Cigarrilha) Todo um imenso volume de história da arte poderia ser composto a partir da temática da morte. Episódica em alguns, a morte pode  ser o grande tema nas mãos de outros. Este é o caso de Edvard Munch (1863-1944), pintor norueguês. Notabilizado pelo quadro "O Grito", o pintor […]

Mundo Azul: Uma Singela Homenagem aos 50 anos da Ida do Homem ao Espaço

                              Yury Gagarin     MUNDO AZUL     Foi um momento em que astronauta era cosmonauta e que todo menino olhou as estelas de forma diferente elas deixaram de ser luzes distantes podiam ser tocadas… Ir ao espaço era tão fácil […]

Não é Hora de Mudar Algumas Palavras?

 Este vídeo foi feito por interesses comerciais. Mas fico pensando se a mensagem transmitida não tem sua utilidade para outros espaços. Em tom ora firme, ora lamentoso, ficamos sianalizando para as necessidades de um SUS humano e solidário mas nos esquecemos que as vezes as estratégias, as palavras e as formas das ações podem não […]

Cibele Dorsa: Quando o Suicídio é uma Mercadoria na Grande Imprensa

  O suicídio é um tema tabu. Raramente é abordado na imprensa de uma forma direta. Quando emerge, será de maneira abstrata, como um tema geral que aparentemente não tocaria as pessoas tidas como "normais". Mas como toda morte, aquela que ocorre por suicídio produz consequências biográficas, impactando de forma intensa na vida das pessoas próximas. […]

Nada é Imutável!

  “Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: Não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar.” (Bertold Brecht). Deixo aqui […]