O anti-taylor: a invenção da administração libertária e democrática na saúde

      http://www.redehumanizasus.net/sites/default/files/anti_taylor_metodo_para_cogovernar_instit_saude.pdf ou em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v14n4/0080.pdf

Cápsulas do tempo

http://revistazum.com.br/colunistas/viagens-sem-volta/   A revista de fotografia ZUM acaba de publicar artigo sobre a descoberta de uma preciosa "cápsula do tempo". Jon Crispin fotografou mais de 400 malas, valises e baús de pessoas internadas no Willard Lunatic Asylum ( Asilo de Lunáticos de Willard – estado de Nova York ) entre 1910 e 1960. A preciosidade do acervo […]

parir em Portugal

Do total de 36 centros hospitalares públicos do país, 14 ainda fizeram mais de 30% de partos com recurso a cesariana em 2014, o que significa que ficaram muito acima das metas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde. No entanto, o valor melhorou substancialmente em relação a 2013, em que 20 dos mesmos 36 centros […]

II Fórum de Direitos Humanos e Saúde Mental

  Direito às Diversidades: Cidades, Territórios e Cidadania   O Segundo Fórum Brasileiro de Direitos Humanos e Saúde Mental, organizado pela Associação Brasileira de Saúde Mental – ABRASME ocorrerá no período de 04 a 06 de  junho de 2015, na cidade de João Pessoa, estado Paraíba.   O evento terá como tema "Direito às Diversidades: […]

singulares “sistemas de saúde”

Com a palavra, um dos organizadores, Luiz Cecilio: A ideia central do livro é que o cuidado em saúde será sempre coproduzido pelos usuários (os leigos) e pelos “especialistas da saúde” (profissionais de saúde, gestores, estudiosos), por mais que estes últimos, no fundo, pensem que cabe ao usuário apenas usar, presos que ficam a uma […]

“A morte da clínica? Viver em tempos neoliberais” – Beatriz Preciado ( 2013 )

http://file.org.br/…/jo-ellsmere-pyewacket-kazyanenko…/   Beatriz Preciado é filósofa e professora da Université de Paris VIII, agitadora de corpos e mentes, e nos fala sobre a morte de uma certa concepção de clínica. A medicalização e normalização das subjetividades foram substituídas contemporaneamente por novos funcionamentos nem sempre explícitos em sua mecânica hoje.  A normalização mesmo coexistindo cede lugar […]

Antiautoajuda para 2015 – ELIANE BRUM para El País

http://brasil.elpais.com/brasil/2014/12/22/opinion/1419251053_272392.html   Não tenho certeza se esse ano vai acabar. Tenho uma convicção crescente de que os anos não acabam mais. Não há mais aquela zona de transição e a troca de calendário, assim como de agendas, é só mais uma convenção que, se é que um dia teve sentido, reencena-se agora apenas como gesto […]