Marco Pires

Porto Alegre, RS

Membro desde: 14/03/2009

298 POSTS
3270 VOTOS

Sobre:

Sou professor de Ciências Sócio Históricas - Geografia - na EMEF Wenceslau Fontoura da SMED e Assessor da Área Técnica de Saúde Mental da SMS, ambos na PMPA.

Na área da saúde desde 1989, na Secretaria Municipal da Saúde desde 1998 e como professor do EJA desde de 2011, tenho especial interesse na articulação dos temas da coesão social, comunidade família, saúde mental e educação.

Com experiência em UTI neonatal, tenho alunos que foram meus pacientes quando nasceram prematuros no GHC. Na saúde mental trabalhei com reinserção social e reabilitação psicossocial em serviços substitutivos na rede de atenção à saúde mental.

Minha graduação é em Ciências Sociais pela UFRGS. Tenho pós graduação, também pela UFRGS, em Humanização da Gestão e da Atenção no SUS, além de experiência em Assessoria Institucional na área sindical.

Interesses:

Literatura

Teoria do Conhecimento

Filosofia

Exobiologia

Tanatologia

Ciência Política

Sociologia

Antropologia

Cinema: drama, documentário, comédia, ação, fantasia...

 

Formação:

Graduado em Ciências Sociais - UFRGS (2006);

Pós graduado em Humanização da Gestão e da atenção do SUS (2009)

Qual será a face do futuro da humanidade?

Continuando com a prática de diálogo inter redes, posto um comentário ao artigo do seguinte Link: http://www.sul21.com.br/jornal/de-onde-vem-face-inquietante-da-economia/ O texto é de Eneas de Souza e possuí fôlego e articulação suficiente para ser uma análise de conjuntura séria e plausível. Contudo, meu comentário pode ser lido de forma independente e complementar, em minha opinião.  Uma revolução […]

O Rolezinho, o trabalho imaterial e a humanidade.

“Rolezinho” na agência de emprego ninguém quer fazer, não é? Esse tipo de argumento esconde um desprezo paradoxal pelas pessoas comuns. Um desdém pela média dos humanos, pela maioria, que só pode espelhar um desprezo profundo por si mesmo. Se muitas pessoas concordam com isso é justamente por que elas fazem parte da média: são […]

Humanização do Cárcere: Anistia.

  As prisões servem a ordem social e ao desejo bárbaro de impor o sofrimento gratuito com que todo bom cidadão tempera seu sono. Pensamos que os assassinos não virão se as cadeias estiverem cheias. A verdade é exatamente o contrário. Mas ninguém quer nada com a verdade. Eu proponho uma anistia geral para quem […]

Milenarismo Apocalíptico e Ceticismo

Sim, todos os finais de ano o tema retorna: o milenarismo e a escatologia apocalíptica. Apocalipse significa revelação. Não sei que espécie de feedback se entranhou na psique humana e recorrentemente associa revelação a extinção, catástrofe ou caos destrutivo. O fato é que a humanidade não precisa imaginar o pior. O pior é o resultado […]

Singularidade Tecnológica ou Transcendência?

    Uma espiada cinematográfica. Em abril saberemos o que os executivos de Hollywood imaginam que o grande público pode suportar ver… Há sistemas inteligentes processando memórias neste exato momento; Animus, senciência e consciência: um atributo dos seres; Nenhum ser é artificial; Tudo o que somos e fazemos é natural, dotado de espírito e capaz […]

Lembranças de Natal e Ano Novo: Quando tudo é novo, de novo…

  Um sonho antigo ficou na minha memória. Eu, certamente tinha menos de 5 anos. Lembro de adultos (feitos de erva-mate) tomando chimarrão e conversando. Eram meus pais e meus avós juntos em volta de um fogão a lenha. Uma das primeiras memórias. Um tempo depois, um ou dois anos, talvez meses apenas, estou com […]

Passagem

  Mesmo nossa mais sólida auto-imagem É uma composição momentânea de luz e sombra Podemos ter expressões faciais recorrentes Pequenas marcas que persistem e denunciam nossa descendência Ao nos vermos reiteradamente em imagens digitais, neste império do indivíduo Não é um super eu que aparece Começamos a ver nosso pai, uma das avós, ou a […]

Religião e Saúde Mental

    Atacar a religião é como é como tentar cortar a cabeça de uma Hidra. Onde haviam uma, nascem duas. O pensamento religioso atende a persistência em viver através da busca de um sentido final para a existência. Um erro que a filosofia de Espinosa, a teoria de Darwin, o pensamento de Freud e […]

Escutar a crise.

A escuta é o momento radical da instituição da autonomia. Ao ouvirmos o outro narrando sua trajetória na forma do percurso de seu padecimento, criamos o momento da ruptura com a projeção impotente de si mesmo. Quando eu me sento diante de um cuidador e falo de minha dor, fico indefeso diante de minha singularidade […]

À margem do oceano de tudo o que não é humano.

Antes de pensar a Política, ou o caminho para o bem comum, proponho levarmos em consideração Freud e Darwin. Aceitarmos o peso dos fatos que nos chegam aos sentidos, e com os quais temos meramente tornado o mundo uma abstração racional que nos envaidece. Para propormos Políticas de Saúde Mental a Diretriz da Redução de […]