Marco Pires

Porto Alegre, RS

Membro desde: 14/03/2009

287 POSTS
3203 VOTOS

Sobre:

Sou professor de Ciências Sócio Históricas - Geografia - na EMEF Wenceslau Fontoura da SMED e Assessor da Área Técnica de Saúde Mental da SMS, ambos na PMPA.

Na área da saúde desde 1989, na Secretaria Municipal da Saúde desde 1998 e como professor do EJA desde de 2011, tenho especial interesse na articulação dos temas da coesão social, comunidade família, saúde mental e educação.

Com experiência em UTI neonatal, tenho alunos que foram meus pacientes quando nasceram prematuros no GHC. Na saúde mental trabalhei com reinserção social e reabilitação psicossocial em serviços substitutivos na rede de atenção à saúde mental.

Minha graduação é em Ciências Sociais pela UFRGS. Tenho pós graduação, também pela UFRGS, em Humanização da Gestão e da Atenção no SUS, além de experiência em Assessoria Institucional na área sindical.

Interesses:

Literatura

Teoria do Conhecimento

Filosofia

Exobiologia

Tanatologia

Ciência Política

Sociologia

Antropologia

Cinema: drama, documentário, comédia, ação, fantasia...

 

Formação:

Graduado em Ciências Sociais - UFRGS (2006);

Pós graduado em Humanização da Gestão e da atenção do SUS (2009)

A suspensão da democracia, da política e da ordem jurídica

  Não há decisão judicial que não seja política. No máximo a sentença pode se ajustar a uma perspectiva do senso comum, expressa num marco legal, através de uma constituição e um conjunto de leis.  Na prática essas leis são aplicadas de modo a expressar correlações de força. Em geral, no interesse da manutenção de […]

O mito da escassez

A Reforma Trabalhista, aprovada ontem no senado federal, baseia-se na hipótese de que a alocação de recursos é uma necessidade que o mercado provê de modo ótimo nas relações de oferta e procura em um mercado livre. Esse ideal jamais foi observado plenamente em nenhum momento da história. Como o planejamento centralizado, a crença nos […]

Topologia do Nível Educacional

  Não há como valorizar os servidores públicos num contexto de destruição do estado de proteção e bem-estar social. O governo Marchezan, em Porto Alegre, está usando o argumento de que os indicadores sociais, como o IDEB demonstram uma suposta ineficiência da rede municipal de ensino.  É exatamente o contrário. O nível educacional tem as […]

Do medo ao horror

    Do medo ao horror. A escalada da retórica sectária, arrogante e violenta de mandatários do poder executivo, está acrescentando horror ao contexto social do medo como expressão da subjetividade coletiva. É impossível dissociar o encadeamento entre discurso e ato. O modelo de gestão em Porto Alegre utiliza o terror para atordoar e produzir […]

A diferença entre fatos e interpretações

Como o secretário da educação afirmou em entrevista que o problema da violência afeta toda a população de Porto Alegre do mesmo modo, estou esperando que ele relate quando as crianças da família dele viram corpos esquartejados pelas ruas e tiveram que se abrigar do fogo cruzado nos corredores de suas escolas.   O Dr. […]

Ajuste, justiça e acontecimento.

O ajuste do acontecimento (e suas derivações) num sistema, caracterizado como um conjunto articulado, que generalizamos como fenômeno é o que se observa na extensão do tempo. A consciência, como saber que se enreda em saber que sabe, precisa dessa continuidade que exige uma certa noção de justiça como liame. A ecos do conceito da […]

Liberdade e determinismo.

    Diferença entre o real e a realidade: Implicações para a ideia de liberdade.   A integralidade do real tem implicações que ultrapassam em muito o universo espelhado em nossa mente. Nós vivemos em uma espécie de cômodo perceptivo. O que percebemos como sendo “a” realidade é um mero recorte do real. A realidade […]

Idealismo, obscenidade, política e moralismo

A exposição, em imagens de alta definição, de dois tipos de obscenidade – as do cotidiano da política e as das entranhas da fisiologia humana – permite um olhar sobre a maneira como suportamos a percepção e a narrativa do que chamamos de realidade.  O fenômeno da interação entre manifestações de massa e redes sociais […]

Que valores dão valor ao dinheiro?

Atualmente as moedas são criadas em ambientes virtuais. Muito pouco dinheiro é realmente impresso. O lastro desse dinheiro são promessas de pagamento, os títulos da dívida pública. Esses títulos são jogados nos mercados financeiros e o esquema de pirâmide que gera valor monetário do “nada” se desenvolve livremente. Dívidas vão sendo criadas para pagar dívidas, […]

Erguer-se e ser pai.

Um pai que pode se erguer, cuidar, prover e proteger depois de ajudar a conceber um filho, tem sido uma dádiva recente nos milênios em que nossa espécie tem estado sobre a terra. Viver para ver seu filho ter filhos é, igualmente, uma generalidade inusitada que ganhamos ao longo dos últimos séculos. Somente os Deuses […]