Sobre:

Sou professor de Ciências Sócio Históricas - Geografia - na EMEF Wenceslau Fontoura da SMED e Assessor da Área Técnica de Saúde Mental da SMS, ambos na PMPA.

Na área da saúde desde 1989, na Secretaria Municipal da Saúde desde 1998 e como professor do EJA desde de 2011, tenho especial interesse na articulação dos temas da coesão social, comunidade família, saúde mental e educação.

Com experiência em UTI neonatal, tenho alunos que foram meus pacientes quando nasceram prematuros no GHC. Na saúde mental trabalhei com reinserção social e reabilitação psicossocial em serviços substitutivos na rede de atenção à saúde mental.

Minha graduação é em Ciências Sociais pela UFRGS. Tenho pós graduação, também pela UFRGS, em Humanização da Gestão e da Atenção no SUS, além de experiência em Assessoria Institucional na área sindical.

Interesses:

Literatura

Teoria do Conhecimento

Filosofia

Exobiologia

Tanatologia

Ciência Política

Sociologia

Antropologia

Cinema: drama, documentário, comédia, ação, fantasia...

 

Formação:

Graduado em Ciências Sociais - UFRGS (2006);

Pós graduado em Humanização da Gestão e da atenção do SUS (2009)

Negligências em série

  O que tem acontecido nos casos noticiados de negligência, abuso e crime nas instituições de saúde no Brasil é absurdo. Vejamos o comparativo que repõe as devidas proporções: Uma determinada causa tem levado aviões a caírem. Os especialistas se reúnem em segredo. Começam a avaliar, um passo por vez, cada sinistro e levantam hipóteses […]

O SUS como artefato de humanos e não humanos, de naturezas/culturas fraternas.

  O texto transcrito logo abaixo é do presidente da Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul – FESSERS, Milton Kempfer. Ele dá conta de um fenômeno a respeito do qual venho refletindo e escrevendo: Como reunir a fraternidade de humanos e não humanos que produziram a constituição de 1998? […]

Um grande Mercado

  Um enorme mercado de 65 à 75 Bilhões de reais. Logo serão mais de 100 Bilhões de reais ao ano. É impossivel ocultar um pequeno fio de saliva que escorre pelo canto da boca. Logo será uma espuma branca emoldurada por uma carranca sorridente num gesto de apontar o dedo e gritar: Quem dá […]

Publicidade de marcas privadas com dinheiro do SUS

Neste texto proponho seguirmos o fio de uma reflexão que, acredito, esteja relacionada com a perversão dos princípios do SUS. Esta perversão é operada de dentro do sistema complementar de saúde. Como sabemos, o sistema complementar tem um espaço de atuação regulado legalmente. Porém imperam em suas operações as puras regras de mercado. Ora, este espaço para […]

As Mortes

  As mortes de que fala a personagem grevista de Saramago, são de várias características. A morte que fica intermitente no livro de Saramago é essa mesma que o Erasmo refere em seus textos. Ela é uma condição de permanência e ciclos que são retomados. Ela tem um sentido nas teias de afetos que ligam […]

Ataque ao SUS em São Paulo: A morte de todos na morte de um ideal.

  São Paulo agora é modelo. Modelo para a vitrine dos inimigos mortais do SUS. Aqui no sul as coisas são feitas no cotidiano. Cada humilhação, cada ataque, cada iniquidade, por mais local e peculiar, não lhes custa o esforço e sempre vale a pena. Tenho colegas, empregados das malditas cooperativas, que estão trabalhando há […]

Pena de Morte e Salário dos Policiais

  A maioria dos gaúchos é a favor da pena de morte. Não sei quanto ao resto do país, mas não deve ser muito diferente. Tenho feito alguns questionamentos a esse respeito. Parece que, no geral e olhando mais de perto, o senso não tem nada de comum neste assundo de crimes e castigos. Porque […]

Distrito 9: Uma reflexão sobre as (in)signicâncias do humano.

Pois é. Ontem fui ver "Distrito 9" e tive essa sensação com relação aos mundos possíveis que surgem de nosso olhar. Sim. São mundos, em parte gestados no complexo de produção (direção, roteiro, atores etc) mas, mais ainda, em nosso próprio olhar. Munido que está de todos os recursos singulares que nos definem. Senti que […]

Parcerias Público-Privada: O caso da SMS e o Grupo Mãe de Deus

A lógica das Parcerias Público Privada é a de mútuo benefício para o Estado, Agente Privado e Cidadãos. No caso das parcerias que conferem ao ente privado o título de filantropia, temos um paradoxo que precisa ser resolvido. A isenção de impostos pressupõe que o dinheiro que a entidade obtenha pela renúncia fiscal seja investido […]

Mais dia, menos dia.

As horas que vivemos, no cômputo das horas em que não estaremos… Cada hora em que vivemos é (re)forçada pelo tempo das horas que não gozaremos. O tempo que temos é infinitamente esticado, em potência, pelo devir que não veremos.