Marco Pires

Porto Alegre, RS

Membro desde: 14/03/2009

280 POSTS
3157 VOTOS

Sobre:

Sou professor de Ciências Sócio Históricas - Geografia - na EMEF Wenceslau Fontoura da SMED e Assessor da Área Técnica de Saúde Mental da SMS, ambos na PMPA.

Na área da saúde desde 1989, na Secretaria Municipal da Saúde desde 1998 e como professor do EJA desde de 2011, tenho especial interesse na articulação dos temas da coesão social, comunidade família, saúde mental e educação.

Com experiência em UTI neonatal, tenho alunos que foram meus pacientes quando nasceram prematuros no GHC. Na saúde mental trabalhei com reinserção social e reabilitação psicossocial em serviços substitutivos na rede de atenção à saúde mental.

Minha graduação é em Ciências Sociais pela UFRGS. Tenho pós graduação, também pela UFRGS, em Humanização da Gestão e da Atenção no SUS, além de experiência em Assessoria Institucional na área sindical.

Interesses:

Literatura

Teoria do Conhecimento

Filosofia

Exobiologia

Tanatologia

Ciência Política

Sociologia

Antropologia

Cinema: drama, documentário, comédia, ação, fantasia...

 

Formação:

Graduado em Ciências Sociais - UFRGS (2006);

Pós graduado em Humanização da Gestão e da atenção do SUS (2009)

Intervalos para a eternidade.

Há intervalos para a eternidade entre os instantes. Passei a maior parte de minha vida pensando neles. Esta tem sido a maneira que encontrei de evitar cair, por ora, nesses interstícios. É verdade que o tempo está ficando mais curto. Os intervalos para a eternidade estão mais pequenos. Porém, não menos notáveis. Temos logrado protelar […]

Sobre liberdade de expressão, iluminismo e verdade.

A ilusão tem origem no desejo, humano e irrefreável, de que tudo tenha um propósito. "Sabemos" que a vida bem vivida, o sucesso e a paz de espírito estão ligadas a uma expectativa: – O mundo deve fazer, realizar ou ter sentido. Ainda assim, não há fora do desejo humano, nenhuma evidência que o universo […]

O Grande Irmão.

http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/Internet/noticia/2015/01/o-facebook-te-conhece-melhor-do-que-sua-mae-e-so-precisa-analisar-150-de-seus-curtir-para-isso.html   A questão é que as empresas não tem apenas acesso ao que curtimos publicamente. Diferentemente do que as pequisas de opinião buscam saber, ao nos perguntarem sobre qualquer assunto, nossa navegação na internet é como um roteiro dos nossos atos online. Aqui está a diferença: O que queremos que pensem de nós; e […]

Ensaio pós-humano IV

Seguimos, nessa reflexão, da noção de redução do mercado de bens simbólicos ao valor monetário. Vamos pensar que o caos simbólico se organiza em uma órbita que hierarquiza e relativiza os valores dos demais signos. Assim, arrisco uma hipótese: Esse grande atrator de sentido que é o capitalismo, opera como uma singularidade. Uma espécie de […]

O rufar dos tambores de guerra.

Intertextos http://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/10/opinion/1420896908_403524.html Essa sede pelo confronto é de origem difusa. Mas ela tende ao alinhamento. Em algum momento, algumas pessoas, agindo de forma significativa e articulada, vão equilibrar o quinhão de horror que cabe, tanto a catadores de latinhas, quanto a jornalistas que se armam com a escrita. A longo prazo tem para todos nós. […]

Ensaio pós-humano III

Como pensar o pós-humano? Desde eras muito antigas que a humanidade vê seus modos de vida revolucionarem a cada giro na roda das novas tecnologias. Isso reflete o fato de que somos o que podemos. Caçamos mais eficientemente em grupos, melhor com armas e com mais sucesso se dividimos tarefas. Cada nova ferramenta, conceitual e/ou […]

Ensaio pós-humano II

  Toda a cognição responde a uma necessidade de adaptação. Está, desse modo, relacionada a desafios impostos pelo ambiente. Uma bactéria se adaptará a uma abordagem bidimensional do espaço, relativa ao meio onde existe. Exceto quando precisar se adaptar a situações que exijam a percepção e organização da ação em um espaço ampliado. Note que […]

Ensaio pós-humano I

Não sei bem o que pode significar livre arbítrio e tenho algumas dúvidas sobre a extensão do conceito de liberdade. No entanto, parece que temos sim um reino. Ele é a pedra de um dominó que vai cair, impulsionado pela queda do anterior. Vamos causar, na medida em que fomos causados. Nada é certo. E […]

Razões Errantes

Uma realidade reiteradamente negligenciada e óbvia é o fato de que agimos a partir de motivações diversificadas. Uma mesma ação se encaixa em uma série de racionalizações. Em uma parte das vezes, estão inseridas em uma cadeia complementar de razões. Em outras vezes, essa cadeia de razões é contraditória. Podemos cuidar movidos pelo desejo de […]

RAPS, Assistência Social e Educação.

Os três únicos setores da proteção social que não podem regurgitar a sua demanda, que devem atende-la em qualquer situação são a saúde, a assistência social e a educação. Não trata-se de que não reprimam a demanda de uma ou outra forma. Sempre que estrutura, ou condições sociais são desculpa, os usuários acabam sem atenção. […]